Terça-feira, 16 de Abril de 2024

Home Esporte Ronaldo cumpre a promessa de levar o Cruzeiro de volta ao topo do futebol brasileiro

Compartilhe esta notícia:

Nunca duvide um uma pessoa que cresceu na dificuldade, apostou em seu talento e fez carreira e fama na profissão que escolheu. Ronaldo chegou ao Cruzeiro sob muita desconfiança, sem saber ao certo o que poderia fazer com o clube, mas com uma montanha de dinheiro (R$ 400 milhões) que o time não podia recusar. Respaldado por uma bancada de profissionais competentes das mais diversas áreas e beneficiado pela criação da SAF (Sociedade Anônima do Futebol), ele assumiu as rédeas da associação e prometeu que a equipe voltaria para a primeira divisão.

A promessa foi cumprida nesta quarta-feira (21), no fim da noite, com a vitória do Cruzeiro sobre o Vasco no Mineirão. A festa estava pronta. Se não acontecesse nessa 31ª rodada, seria na próxima ou na outra. O Cruzeiro estava na iminência de subir depois de três anos afundado em dívidas e derrotas na Série B.

Ronaldo merece todos os créditos, mas não só ele. A máquina do Cruzeiro trabalhou de forma redonda nesta temporada, não deixando brechas para que algo pudesse acabar com o sonho do torcedor de ver seu time entre os melhores do Brasil novamente. Comissão técnica, elenco, colaboradores, dirigentes, torcida e parceiros, todos foram importantes para a retomada. Ronaldo encabeça a lista porque ele se transformou no maior gestor do Cruzeiro.

As condições jurídicas da SAF tornaram possíveis o fato de ele poder comprar o clube que o projetou no futebol, muito antes de ele se transformar no craque mundial que foi. Ronaldo foi eleito o melhor do mundo algumas vezes e ganhou uma Copa, a de 2002, com dois gols na grande final diante da Alemanha – ele foi artilheiro daquela Copa com oito gols. É um predestinado.

Mas Ronaldo não é nem nunca será maior do que o Cruzeiro. No entanto, não há como não associar sua imagem com a do time que subiu nesta quarta. Confirma sua volta e agora segue atrás do título. Ronaldo enfrentou todas as barreiras de um clube de futebol no Brasil, com todos os seus vícios e amarras. Não foi fácil. Havia desconfiança e muitas dúvidas de que pudesse dar certo. Esportivamente, pode dizer que deu certo.

Mas Ronaldo não é o Santo Padre. Ele trabalha para ganhar dinheiro e para valorizar cada centavo do seu investimento. Quer transformar seus R$ 400 milhões em R$ 800 milhões e assim por diante. Não está no Cruzeiro para fazer filantropia. É um negócio que a SAF permitiu a ele juntar a possibilidade de aumentar sua fortuna e tirar do buraco o time que o lançou no futebol, muito diferente de sua relação com o Valladolid, da Espanha, seu outro clube.

Ronaldo é um homem de negócios, como todos os outros empresários que assumiram clubes brasileiros por meio da Sociedade Anônima do Futebol. Voltar para a primeira divisão vai triplicar as receitas do Cruzeiro com transmissão dos jogos, por exemplo. Um clube na Série A vale muito mais do que um na B. Haverá um ‘boom’ de venda de camisas. O programa de sócio-torcedor tem aumentado mensalmente e essa tendência deve continuar para 2023. Novos patrocinadores estão sendo ajeitados para essa volta à primeira divisão, com novas negociações.

A SAF tem essa prerrogativa: ela tira todo e qualquer relacionamento amador do clube, muitos arrolados por sentimentos de gratidão por anos a fio. No mundo dos negócios, isso não existe. Ou não deveria. Ronaldo já pensa também em um elenco melhor. Ele negocia com atletas de times da primeira divisão que possam vestir a camisa do Cruzeiro no ano que vem. Não há nada de errado nisso. A torcida entendeu. A festa vai continuar por alguns dias. No ano que vem, muitas coisas serão revistas. E é assim que tem de ser mesmo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Prima do rei Charles III diz que Meghan Markle sofre “trote infernal” pela realeza
Tite tira pressão por resultado na Copa sem deixar de fazer ajustes em busca de variações
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde