Sábado, 15 de Junho de 2024

Home Mundo Rússia envia navios de guerra para o Mar Negro em meio à escalada na Ucrânia

Compartilhe esta notícia:

A Rússia está enviando seis navios de guerra para o Mar Negro para exercícios navais. A pasta disse que este é um movimento pré-planejado de recursos militares, no entanto, analistas temem que os exercícios podem ser um pretexto para invadir a Ucrânia.

A Rússia anunciou no mês passado que sua marinha realizaria um amplo conjunto de exercícios envolvendo todas as suas frotas em janeiro e fevereiro, do Pacífico ao Atlântico, na mais recente demonstração de força em uma onda de atividade militar durante um impasse com o Ocidente sobre a Ucrânia.

Os seis navios devem passar pelo estreito da Turquia até o Mar Negro nestas terça-feira (8) e quarta-feira (9), disseram fontes turcas. Os navios incluem o Korolev, o Minsk e o Kaliningrado, que devem navegar pelo Bósforo – um já foi visto passando pelo estreito -, enquanto o Piotr Morgunov, o Georgi Pobedonosets e o Olenegorski Gorniak devem passar nesta quarta-feira.

Analistas militares dizem que a combinação dos navios com as forças já enviadas para a região do Mar Negro forneceria uma capacidade significativa de ameaçar uma grande área da costa da Ucrânia, que possui apenas um sistema de defesa costeiro limitado.

Forças

Os anúncios provocam temores de que os exercícios seriam um pretexto para um ataque contra a Ucrânia, que as forças russas invadiram em 2014, anexando a Crimeia, cuja costa é voltada para o Mar Negro.

Os exercícios de agora se somam ao movimento de envio de tropas para Belarus, a milhares de quilômetros de suas bases permanentes, que foi visto como uma ameaça contra Kiev, que fica a cerca de 220 quilômetros da fronteira com Belarus.

Em resposta às tropas russas em Belarus, a Ucrânia planeja realizar exercícios militares em larga escala entre 10 e 20 de fevereiro, com drones de combate comprados da Turquia e mísseis antitanque fornecidos por Washington e Londres.

Os Estados Unidos, a Alemanha e o Reino Unido também enviaram reforços militares para a Europa. Um primeiro destacamento de cerca de 100 soldados americanos chegou nesta terça-feira à Romênia.

No sábado, outros soldados norte-americanos já haviam chegado à Polônia, país que abrigará um total de 1.700 deles. A Romênia, membro da Otan desde 2004, abriga 900 soldados americanos, 140 italianos e 250 poloneses em seu território.

A Rússia já acumulou mais de 100 mil soldados perto da fronteira com a Ucrânia. O país nega qualquer plano de invasão, mas busca garantias de segurança abrangentes, incluindo a promessa de não instalar mísseis perto de suas fronteiras, reduzir a infraestrutura militar da Otan e proibir a Ucrânia de ingressar na aliança.

Legalmente, a Turquia, membro da Otan, poderia fechar o estreito ao trânsito se a Rússia tomasse uma ação militar contra a Ucrânia.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Contra passaporte vacinal, caminhoneiros do Canadá bloqueiam ponte com os Estados Unidos
Inteligência artificial, com ajuda de brasileiros, pode acelerar diagnóstico de hanseníase
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News