Quinta-feira, 30 de Maio de 2024

Home Ciência Saiba se a Lua realmente está se afastando da Terra aos poucos; além de outros fenômenos astronômicos

Compartilhe esta notícia:

Você sabia que a Lua está se afastando da Terra aos poucos? E que já foram encontrados mais de 30 mil asteroides perto do nosso planeta? E será que a Nasa conseguiu mesmo desviar a órbita de um asteroide, depois de chocar uma nave contra ele?

Esses acontecimentos astronômicos recentes foram notícias na última semana. Com o avanço das tecnologias de observação espacial, cada vez ficamos sabendo de mais e mais objetos ao redor da Terra, ou de outros fenômenos no espaço. Confira alguns agora.

Terra vista do espaço

Enquanto realizavam uma atividade extraveicular do lado de fora da estação espacial chinesa, astronautas da missão Shenzhou-14 aproveitaram para fazer umas fotos não apenas da estrutura espacial, como também da Terra vista de longe — e as imagens são de tirar o fôlego!

Já se sabia que a Lua se afasta cerca de 3,8 centímetros da Terra a cada ano. A novidade agora é que antigas rochas terrestres guardam “pistas” da distância entre nosso planeta e seu satélite natural no passado.

Pesquisadores foram até um parque nacional na Austrália, onde há desfiladeiros formados por sedimentos de 2,5 bilhões de anos. Ali, eles identificaram sinais de que a Lua estava cerca de 60 mil quilômetros mais próxima da Terra do que está hoje — naquela época, os dias durariam apenas 17 horas.

Com as tecnologias de observação espacial, já foram descobertos 30.039 asteroides próximos de nosso planeta.

Esses asteroides estão em trajetórias que os trazem para pelo menos 45 milhões de quilômetros de distância da órbita da Terra. Pode parecer muito longe, mas é uma distância bastante curta em termos cósmicos. Porém, não existe nenhum asteroide conhecido hoje que ofereça riscos para nós — pelo menos dentro dos próximos 100 anos.

Moléculas orgânicas foram encontradas perto do centro de três galáxias ativas — onde não deveriam estar, já que, até então, considerava-se que esse tipo de molécula não sobreviveria nessas regiões.

Nas galáxias observadas, foram detectados hidrocarbonetos aromáticos policíclico (PAHs, na sigla em inglês), que são moléculas formadas por átomos de carbono dispostos em anéis, sendo considerados possíveis blocos de construção da vida e que são bastante abundantes no universo.

Estudos anteriores sugeriam que a radiação intensa do centro de galáxias, vindas de arredores de buracos negros supermassivos, destruiria qualquer PAH presente. Mas, usando o telescópio espacial James Webb, cientistas encontraram vários PAHs nas três galáxias observadas.

Jato de plasma

Um fotógrafo e astrônomo português conseguiu registrar um momento em que o Sol estava um tanto quanto “agressivo”. Ele capturou imagens de uma proeminência solar — e em altíssima resolução.

Proeminências solares são formações que acabam sendo “expelidas” da superfície do Sol. Esses jatos podem ter algumas vezes o diâmetro da Terra e podem durar de alguns dias até meses.

Órbita de um asteroide

Desde que a Nasa chocou uma nave contra um asteroide, a pergunta que ficou foi: e aí, deu certo o teste? Ela conseguiu mesmo alterar a órbita do objeto espacial? Bom, a resposta chegou e é positiva.

A agência espacial anunciou o sucesso da missão DART, pois, antes do impacto no asteroide Dimorphos, ele levava 11 horas e 55 minutos para orbitar o objeto maior, chamado Didymos. Após o impacto, essa órbita agora leva 11 horas e 23 minutos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Mel Gibson é convocado ao julgamento do cineasta Harvey Weinstein por crimes sexuais
Confira os beneficíos do otimismo para a saúde e a longevidade
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde