Sexta-feira, 01 de Março de 2024

Home Tecnologia Satélite “divisor de águas” medirá a maior parte da água do planeta

Compartilhe esta notícia:

A missão internacional Surface Water and Ocean Topography, conhecida como Swot, decolou a bordo de um foguete SpaceX Falcon 9 da Vandenberg Space Force Base, na Califórnia, às 6h46min na sexta-feira. O primeiro estágio do foguete pousou com sucesso na Terra às 6h54min.

A missão, um esforço conjunto entre a Nasa e a agência espacial francesa Centre National d’Études Spatiales, irá pesquisar a água em mais de 90% da superfície do mundo e medir a altura da água em corpos de água doce, bem como nos oceanos. As duas agências colaboram há décadas para monitorar os oceanos da Terra – e o Swot é o próximo passo em sua parceria.

Os insights das medições do Swot mostrarão como os oceanos influenciam as mudanças climáticas, bem como o impacto do aquecimento global em lagos, rios e reservatórios. Os dados do satélite também podem ajudar as comunidades a se prepararem melhor para enchentes e outros desastres relacionados à água, que estão aumentando devido à crise climática.

Embora a água seja fundamental para a sobrevivência da vida na Terra, ela também molda nosso tempo e clima, pois armazena e movimenta o carbono e o calor retidos na atmosfera pelas emissões de gases de efeito estufa. O levantamento desse recurso pode ajudar os cientistas a entender o balanço hídrico global – avaliando as principais fontes, como essas fontes estão mudando e os impactos que terão em diferentes ambientes.

Uma questão-chave que os cientistas têm é sobre a troca de calor entre a atmosfera da Terra e o oceano global, e como isso pode acelerar o aquecimento global.

“Conseguiremos ver coisas que simplesmente não conseguíamos ver antes”, disse Benjamin Hamlington, cientista pesquisador do Sea Level and Ice Group no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa.

“Seremos capazes de rastrear o movimento da água ao redor da Terra entre o oceano e a terra, conseguir fazer algumas dessas conexões e realmente entender onde a água está em um determinado momento. Isso é realmente crítico porque sabemos com a mudança climática que o ciclo da água está se acelerando. O que isso significa é que alguns locais têm muita água, outros não têm o suficiente.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Marrocos e Croácia disputam, neste sábado, terceiro lugar na Copa do Mundo
Porto Alegre tem última feira “Brechocão” do ano neste domingo
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada