Segunda-feira, 15 de Abril de 2024

Home Música Selena Gomez fala de depressão, ansiedade e psicose em novo documentário

Compartilhe esta notícia:

Selena Gomez admitiu suas dificuldades com depressão, ansiedade e até mesmo psicose em seu novo documentário, Selena Gomez: My Mind & Me. A cantora, de 30 anos de idade, explicou que revelou as informações porque gostaria de conscientizar os jovens sobre a importância de priorizar a saúde mental.

“Acho que alguém realmente me perguntou se eu sentia que tinha feito demais. E não vou mentir, talvez houve alguns momentos que foram assustadores. Mas, ao mesmo tempo, se você tirar alguma coisa disso, espero que as pessoas entendam que meu propósito aqui é a conexão. Eu me usei em sacrifício para que as pessoas pudessem ter essas conversas difíceis. Mas também vou rastejar para um buraco agora por alguns meses, para que ninguém me veja por um tempo. Eu fiz demais”.

Selena começou sua jornada para a fama aos 7 anos de idade, e sua carreira na TV decolou quando ela apareceu na série infantil Barney & Friends aos 10. Em 2007, aos 15 anos, ela conseguiu um papel de protagonista na série do Disney Channel, Wizards Of Waverly Place, e no ano seguinte assinou um contrato com a Hollywood Records.

Com essa gravadora, Selena lançou três álbuns com sua antiga banda, Selena Gomez & The Scene, que alcançou o Top 10 da Billboard 200 dos EUA. No final de 2010, ela ficou ainda mais sob os holofotes ao começar a namorar o astro do pop Justin Bieber, que tinha 16 anos na época. O romance intermitente continuou por oito anos.

Em 2016, a fama começou a afetar a saúde de Selena. Depois de 55 shows em sua turnê Revival, a estrela – que foi diagnosticada com lúpus autoimune em 2014 – cancelou o restante dos shows para se concentrar em sua saúde mental. Em um comunicado divulgado na época, ela disse que sofria de ataques de pânico e depressão.

No verão de 2017, complicações do lúpus a levaram a fazer um transplante de rim. No ano seguinte, em maio de 2018, Selena se separou de Justin para sempre, com rumores sugerindo que o relacionamento estava “insalubre” por um tempo.

Cinco meses depois, a cantora foi internada em um hospital psiquiátrico – e posteriormente revelou que teve um episódio de psicose nesse período. Em 2020, Selena revelou que havia sido diagnosticada com transtorno bipolar.

O documentário foi dirigido por Alek Keshishian, que recentemente revelou que Selena teve um colapso nos bastidores da turnê Revival, no qual ela dizia, em prantos: “É uma merda. Parece tão ruim!”. O diretor pontuou: “Ela estava tipo, ‘Oh meu Deus! Eu não quero que o mundo me veja desmoronando chorando assim.’”

Falando no AFI Fest em Los Angeles, onde o documentário estreou, Selena explicou que quer que o documentário ajude as pessoas a se abrirem para amigos e familiares.

“Espero que comece com uma conversa em que as pessoas imediatamente comecem a fazer perguntas sobre as coisas que sentiram. A pandemia foi um período de isolamento e as pessoas estavam experimentando depressão pela primeira vez, ansiedade. Sinto que este é o momento certo para lançar algo assim, porque muitas pessoas perguntam: ‘Bem, o que devo fazer? Como consigo ajuda?’ E eu apenas tento ao máximo mostrar a eles que você não precisa parar. Você pode continuar. Espero que as pessoas entendam que não há problema em não se sentir bem o suficiente. Não há problema em sentir que você é complicado e complexo. ajuda, como você fala com outras pessoas. Se apenas uma pessoa for impactada por este filme, eu me consideraria a garota mais sortuda”, disse ela na ocasião.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Música

Filme da banda Bee Gees troca diretor pela terceira vez
Larissa Manoela muda o visual e André Luiz Frambach elogia: “Você é uma deusa”
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News