Terça-feira, 24 de Maio de 2022

Home Flávio Pereira Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares: “Poucos negros podem ser comparados a mim”

Compartilhe esta notícia:

Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo é polêmico, a começar pela forma como se apresenta: “Presidente da Fundação Palmares. Negro de direita, antivitimista, inimigo do politicamente correto. Cotas para estudantes pobres de qualquer cor. Abaixo Zumbi!”. Ele tem defendido uma posição de protagonismo dos cidadãos negros, criticando a postura de entidades que, segundo ele, atuam “com cunho nitidamente racista, buscando tirar proveito eleitoral desses movimentos”.

“Repudiamos o estereótipo do negro pitoresco e tribal, vestindo sungas em meio a atabaques e rebolados. Essa é uma representação preconceituosa e reducionista do negro, construída pela esquerda. O preto vitimista e doutrinado possui uma existência tão miserável e uma vida tão vazia que lhe resta somente ostentar o “orgulho do cabelo afro”. Pretos que têm honra e trabalham também cuidam do cabelo, mas orgulham-se de suas conquistas. Meus pais nunca falaram comigo de “lutas do povo negro”. Eles me mandavam estudar, ir à igreja, falar corretamente e andar em boas companhias”, avalia.

Polêmico, Sérgio Camargo desafia: “Poucos negros podem ser comparados a mim. Sou o negro que mais denuncia as falácias, canalhices e mentiras da esquerda racialista no Brasil. O negro que for comparado a mim deve se orgulhar. É um atestado de liberdade!”

Atentado contra Bolsonaro na Expodireto: “uma brincadeira”, segundo o autor

A banalização da violência, quando se trata de atos contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, já está levando ao descrédito instituições como o STF, o Ministério Publico e outros que, em situações semelhantes, quando se trata de outras autoridades, por muito menos, agem com rigor.

Agora, o presidente da República foi ameaçado de morte pelo cidadão gaúcho Jardel Castro, de Passo Fundo, que postou mensagem no seu Facebook, concitando novo atentado contra Bolsonaro. Ele escreveu que o assassino deveria aproveitar a próxima presença do presidente na Expodireto, agendada para o dia 7 de março na cidade de Não-Me-Toque.

Após ser denunciado publicamente pelo deputado federal Bibo Nunes, Jardel Castro mandou carta ao parlamentar, desculpando-se pelo que classificou de brincadeira. A Polícia Federal não viu o caso desta forma.

Em busca de recursos para campanha, Moro negocia com o União Brasil

Sérgio Moro está dialogando com os caciques do União Brasil, resultado da fusão do DEM com o PSL. O motivo é claro: o partido possui R$ 1 bilhão, dinheiro do Fundo Eleitoral para investir nas eleições deste ano. Filiado ao Podemos, Sergio Moro deu-se conta de que o partido dele não teria um orçamento mais generoso para bancar a sua campanha. Moro tem tratado diretamente com Luciano Bivar, dono do União Brasil, sobre o tema.

Fórum da Liberdade trata da “cultura do cancelamento”

A Cultura do Cancelamento, que trata de “boicotes a empresas que não demonstrem engajamento ao politicamente correto”, foi o tema escolhido para a 35ª edição do Fórum da Liberdade, considerado o maior evento liberal do País, que ocorrerá neste ano nos dias 11 e 12 de abril, em Porto Alegre.

Promovido pelo IEE, o Instituto de Estudos Empresariais, desde 1988, o encontro já foi reconhecido pela revista norte-americana Forbes como o maior espaço de debate político, econômico e social da América Latina.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Senador Luis Carlos Heinze alerta para estiagem em 325 municípios gaúchos
Gabriel Souza cresce como proposta de renovação no MDB
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Bom Dia