Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2022

Home em foco Sérgio Moro diz que fim da prisão em segunda instância “libertou corruptos”

Compartilhe esta notícia:

Prestes a assinar sua ficha de filiação no Podemos para, possivelmente, se candidatar ao Planalto em 2022, o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro subiu o tom nas críticas ao fim da prisão em segunda instância. A decisão foi tomada dois anos atrás pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e, na avaliação feita por Moro, nesta segunda-feira (8), nas suas redes sociais, “libertou corruptos”.

Não foi a única crítica feita pelo ex-juiz da Lava-Jato em relação ao funcionamento da Justiça. Em referência ao fato de os responsáveis pelo incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, não terem sido julgado até hoje, oito anos depois do ocorrido, Moro culpou a “ineficiência do sistema de Justiça”.

“Marcos da impunidade. O fim da prisão em segunda instância, há dois anos, libertou corruptos. Mas a ineficiência do sistema de justiça também deixa outras tragédias sem resposta, como o incêndio na Boate Kiss, há oito anos. Os responsáveis, até hoje, não foram julgados”, disse Moro.

Prestes a entrar formalmente na política, Moro tem ampliado suas declarações públicas sobre temas que poderão ser centrais numa eventual campanha presidencial. E o combate à corrupção e à impunidade já se tornaram agendas naturais para o ex-juiz nesse início de movimentação política.

Até o fim do mês passado, Moro vinha adotando cautela nessas manifestações, já que ainda tinha vigente seu contrato de consultoria com a Alvarez & Marsal. Com o fim do compromisso, o ex-ministro confirmou a decisão de se filiar ao Podemos.

Oficialmente, ainda não anunciou a disposição de concorrer à Presidência, mas já vem organizando sua candidatura nesse sentido. Sua entrada na disputa, porém, vai depender de seu nome pegar tração nas pesquisas dentro do hoje congestionado campo da terceira via.

Senado

Sérgio Moro lidera em três cenários a disputa por uma vaga ao Senado por São Paulo em 2022, segundo uma pesquisa do Instituto Realtime Big Data.

Na pesquisa que mostra Moro à frente em uma hipotética disputa ao Senado por São Paulo, o ex-juiz chega a registrar 30% das intenções de voto em um dos cenários simulados.

— Cenário 1: Sérgio Moro – 29%, Guilherme Boulos (PSOL) – 19%, José Luiz Datena – 19%, Janaína Paschoal (PSL) – 8%, José Aníbal (PSDB) – 1%, branco/nulo – 17%, não souberam ou não responderam – 7%.

— Cenário 2: Sérgio Moro – 30%, José Luiz Datena – 17%, Eduardo Suplicy (PT) – 14%, José Serra (PSDB) – 8%, Abraham Weintraub – 5%, branco/nulo – 18%, não souberam ou não responderam – 8%.

— Cenário 3: Sérgio Moro – 29%, José Luiz Datena – 18%, Márcio França (PSB) – 15%, Paulo Skaf (MDB) – 10%, José Anibal (PSDB) – 1%, branco/nulo – 18%, não souberam ou não responderam – 9%.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Cada processo eleitoral no Brasil ganha regras novas em relação ao anterior, e nas eleições de 2022 esta “tradição” será mantida
Embora estejam com relatório pronto desde novembro de 2019, projeto que autoriza a prisão após condenação em 2ª instância segue sem ser pautado na Câmara
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada