Segunda-feira, 16 de Maio de 2022

Home Brasil Sobe para 123 o número de mortos em Petrópolis, no Rio; governo anuncia R$ 1 bilhão para regiões afetadas pelas chuvas

Compartilhe esta notícia:

Subiu para 123 o número de mortos na tragédia das chuvas em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira (18). Ao menos 116 pessoas estão desaparecidas na cidade, segundo a última atualização da Polícia Civil.

Na tarde desta quinta-feira (17), voltou a chover no município, que há dois dias foi castigado pela pior tempestade dos últimos 90 anos. A Defesa Civil acionou sirenes em 14 localidades e emitiu alerta de mobilização para evacuação de moradores das áreas de risco do rio Quitandinha.

Em vídeos compartilhados nas redes sociais, foi possível ver que as ruas voltaram a ficar alagadas em alguns pontos, como no bairro Alto da Serra. Ainda há previsão de chuva até sábado (19).

As autoridades também continuam em alerta para riscos de novos deslizamentos. A Defesa Civil realizou a evacuação das áreas.

“De acordo com a análise de geólogos da Defesa Civil, a situação requer a ação de caráter preventivo, tendo em vista as grandes dimensões do bloco rochoso existente na região, que está localizado a montante da Rua Nova, em meia encosta”, informou por meio de nota.

Cerca de 500 bombeiros atuam nas buscas por vítimas em Petrópolis, com a ajuda de cães farejadores, viaturas do tipo 4×4 e botes, além de aeronaves das forças de segurança do Estado.

Liberação de R$ 1 bilhão para áreas afetadas em todo o Brasil 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) visitou, nesta sexta, a cidade de Petrópolis e anunciou em conjunto com ministros a liberação de R$ 1 bilhão para locais no Brasil que tiveram impactos das recentes chuvas de verão, incluindo a região.

A verba foi detalhada pelo ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, durante uma coletiva de imprensa na cidade. Segundo ele, o governo irá liberar duas medidas provisórias de R$ 500 milhões cada nos próximos dias.

Além dos recursos descritos pelo ministro, outras duas pastas anunciaram verbas para as vítimas da tragédia. São mais R$ 700 milhões do Ministério da Cidadania e R$ 500 milhões da Infraestrutura. Juntos, todos os recursos somariam um total de R$ 2,2 bilhões para cidades com danos decorrentes das chuvas, disse Marinho.

Bolsonaro, por sua vez, disse que o sobrevoo da região mostrou “uma intensa destruição”: “Tivemos uma perfeita noção da gravidade do que aconteceu aqui em Petrópolis”.

Ao ser questionado sobre os recursos, o presidente afirmou que acidentes do tipo não podem ser todos previstos e diferenciou o orçamento votado no Congresso dos recursos emergenciais disponibilizados em situações adversas.

“Por muitas vezes não tem como nos precaver de tudo que possa acontecer nesses 8 milhões e meio de quilômetros quadrado. A população logicamente tem razão em criticar, mas aqui é uma região bastante acidentada. Infelizmente já vemos outras tragédias aqui”, declarou.

“Medidas preventivas, orçamento geral da união votado anualmente. Medidas emergenciais, diferente, como estamos fazendo aqui agora”, disse o presidente.

Mais cedo, pelas redes sociais, Bolsonaro havia anunciado um primeiro repasse de recursos federais para Petrópolis no valor de R$ 2,3 milhões, sendo R$ 1,67 milhão serão para a compra de cestas básicas e itens emergenciais e R$ 655,7 mil serão destinados para a limpeza urbana e a desobstrução de canais.

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (RJ), afirmou que o governo liberou o cadastramento das famílias no aluguel social para que as pessoas possam sair dos abrigos temporários.

Além disso, Castro afirmou que a disponibilidade de bombeiros e demais agentes que trabalham no salvamento e identificação das vítimas é calculado de acordo com previsões “técnicas”.

“Não adianta ter mais gente aqui, é um local instável”, disse. “Vai criar confusão e dificilmente conseguir ajudar a população”, afirmou o governador.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Em novo parecer no Senado, relator obriga estados a mudarem cálculo do ICMS sobre combustíveis
Maioria do Supremo vota por derrubar despacho do MEC sobre vacinação
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde