Quarta-feira, 19 de Junho de 2024

Home Rio Grande do Sul Suspenso há quase um mês, transporte de passageiros pela Trensurb pode ser retomado parcialmente nesta quarta

Compartilhe esta notícia:

Suspenso em sua totalidade desde 3 de maio por causa das enchentes, o transporte de passageiros pela Trensurb pode ser parcialmente retomado nesta quarta-feira (29), desde que as condições climáticas sejam favoráveis. A previsão é do presidente da estatal, Fernando Marroni. O plano envolve um esquema emergencial para contemplar apenas o trecho entre as estações Mathias Velho (em Canoas) e Novo Hamburgo.

“Estamos nos baseando na meteorologia”, reiterou o gestor. “Se não chover nesta terça, creio que será possível reiniciar as operações já na quarta.”

A empresa trabalhava inicialmente com a hipótese de uma retomada no início desta semana, o que não foi possível devido às novas chuvas que atingiram o Estado nos últimos dias. O cronograma também sofreu atraso por um incêndio em equipamento de energia na unidade São Luís, em Canoas – o concerto só pode ser realizado mediante tempo seco.

Esquema reduzido

A estratégia é reativar a linha em mão-dupla desde o bairro Mathias Velho (Canoas) até a Unisinos, bem como em sentido único entre as estações a Unisinos (São Leopoldo) e Novo Hamburgo, totalizando assim 26 quilômetros. Serão dez horas diárias de viagens.

Já para o segmento entre Porto Alegre e Canoas não há uma perspectiva no curtíssimo prazo, até porque parte das áreas por onde passam os trens na capital permanecem alagadas. Atualizações sobre o transporte por metrô são divulgadas no site trensurb.gov.br.

De forma inédita, o serviço de metrô foi afetado neste mês por alagamentos em vários de seus 22 pontos de embarque e desembarque. Em Porto Alegre, três tiveram perda total: Mercado Público, Rodoviária e São Pedro (Zona Norte).

Pelo menos não houve perda dos 40 vagões da frota: preventivamente, a maioria dos veículos foram retirados para pátios de manutenção longe do alcance da cheia do Guaíba, mesmo que um dos veículos permaneça ilhado na Estação Mercado (Centro Histórico de Porto Alegre).

“Corredor humanitário”

Fernando Marroni informou, ainda, que avalia com a Defesa Civil e Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) a estratégia de priorizar inicialmente os passageiros que atuam em serviços emergenciais. Ele inclusive comparou a ideia ao corredor humanitário aberto neste mês pela prefeitura da Capital, próximo à Estação Rodoviária, para profissionais, cargas e insumos emergenciais.

O dirigente também chama a atenção para a necessidade de garantir a segurança nos trens e estações. Segundo ele, a retomada do funcionamento com equipes reduzidas deixa o sistema vulnerável a problemas como vandalismo ou mesmo assaltos.

Quase 40 anos de atuação

Implementado na capital gaúcha e cidades vizinhas em março de 1985 (há quase 40 anos, portanto), o Trensurb tem atualmente 22 estações e atende a cada dia útil uma clientela de aproximadamente 110 mil passageiros em Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo e Novo Hamburgo – há planos de estender o serviço até Sapucaia do Sul.

O sistema possui uma extensão total de quase 44 quilômetros, com paradas a cada 2,1 quilômetros (em média). Cada plataforma de embarque e desembarque tem 190 metros de extensão, compatíveis com a operação de dois trens acoplados. Os sistemas de sinalização permitem a circulação de 20 composições por hora, em cada sentido.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Ministério da Agricultura será transferido para o RS nesta terça
Dona de canil clandestino é presa por maus-tratos aos animais no Rio Grande do Sul
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias