Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024

Home Ciência Telescópio mais potente da história foi lançado na Guiana Francesa. Universidade de Santa Maria participa das pesquisas

Compartilhe esta notícia:

Após cerca de 14 anos de atraso, o telescópio espacial James Webb foi lançado pela Nasa na manhã deste sábado (25). O equipamento é o maior e mais potente já lançado.

Com mais de US$ 10 bilhões investidos desde o início de seu desenvolvimento em 1996, o telescópio vai estudar as primeiras estrelas e galáxias que se formaram, o nascimento dos sistemas planetários e até mesmo as origens da vida. Entre as pesquisas que serão desenvolvidas pelo equipamento, está um projeto de cientistas da Universidade Federal de Santa Maria.

Além disso, James Webb deve aumentar a compreensão sobre buracos negros e catalogar potenciais exoplanetas habitáveis mais facilmente.

Lançado a bordo de um foguete Ariane 5 a partir de Kourou, na Guiana Francesa, o novo equipamento será operado pela NASA em parceria com a Agência Espacial Europeia (ESA).

Ele orbitará o sol a cerca de 1,5 milhão de quilômetros da Terra após uma viagem de um mês. A expectativa é que o observatório seja o principal agente nos estudos do espaço profundo pela próxima década.

O lançamento e monitoramento do telescópio até sua saída da órbita da Terra foi transmitido através dos canais digitais da Nasa.

Funcionamento

O James Webb é um telescópio infravermelho capaz de observar luzes de comprimentos de onda de 600 a 28 mil nanômetros.

Isso significa que ele consegue identificar objetos que emitem luz em todo o espectro, como regiões de formação estrelar, exoplanetas e galáxias distantes.

O Webb ainda possui uma estrutura diferente da usada em outros telescópios. Ele conta com um espelho formado por 18 hexágonos que aumentam a reflexão da luz infravermelha. Esse diferencial aumenta a área efetiva de observação.

Histórico

O James Webb foi idealizado em 1996 e a ideia, na época, era que seu lançamento acontecesse entre 2007 e 2011. No entanto, os custos do projeto e adiamentos do seu cronograma postergaram essa previsão até 2021.

Em 2011, o projeto do observatório passou por diversas mudanças, de forma que o lançamento foi revisto para 2018.

Naquele ano, a Nasa solicitou um período maior de testes dos instrumentos do telescópio, adiando mais uma vez o lançamento para 2020.

A pandemia foi responsável por um novo atraso nos planos que finalmente se concretizaram neste sábado (25).

O telescópio tem o nome do antigo dirigente da agência espacial norte-americana entre fevereiro de 1961 e outubro de 1968. James Webb também trabalhou no programa Apollo, além de ter feito diversas outras contribuições para a ciência.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Neymar compra mansão de luxo em São Paulo avaliada em 20 milhões de reais
Cinco descobertas científicas de 2021 que contribuíram para uma vida mais saudável
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde