Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Home Brasil Venda de carro novo cai 14% no país à espera de medidas para redução dos preços

Compartilhe esta notícia:

A expectativa da entrada em vigor de medidas do governo federal que reduzirão o preço dos carros novos no país fez com que a média diária de vendas em maio caísse quase 14% ante abril.

A previsão é de que os preços sejam reduzidos entre 1,5% e 10,96% nos modelos de até R$ 120 mil. Veículos mais baratos deverão ter descontos maiores.

De acordo com anúncio feito pelo vice-presidente Geraldo Alckmin na semana passada, Dia da Indústria, carros mais
baratos terão descontos maiores.

Até a última segunda-feira (29), a média diária de vendas era de 7.284 unidades, ante 8.443 em igual período de abril. O número representa quase 5% abaixo da média de maio de 2022.

O segmento de carros usados, que acompanha o de novos na questão dos preços, também vive a expectativa da definição.

A arrecadação com a regulamentação das apostas esportivas é uma das alternativas em estudo pelo governo para compensar parte do corte de tributos federais no programa, que deve durar de quatro meses a um ano.

O setor aguarda a definição das medidas, inclusive para saber por quanto tempo o corte de tributos vai se estender. Segundo informações, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Serviços o pacote pode se alongar por até um ano.

Medidas bem-vindas

Enilson Sales, presidente da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), entidade representativa do setor de revendas de automóveis seminovos e usados, diz que, em tese, se um carro zero que se enquadra nas regras para desconto (ecologicamente correto, com índice alto de nacionalização de peças e preço baixo) ficar 10,96% mais barato, os valores dos seminovos da categoria tendem a recuar na mesma proporção. Mas ele lembra que os preços já vinham em queda de 5% no último quadrimestre.

“Acredito que nos primeiros três meses depois de anunciadas a medidas os preços tendem a se acomodar, com um recuo médio de 10% do valor em relação ao preço que eram vendidos no início do ano”, diz ele.

Sales lembra que até antes do anúncio do pacote do “carro popular” as vendas de seminovos e usados vinham em alta de 16% a 18% em relação ao mesmo período do ano passado. Na prática, são 57 mil a 58 mil veículos desse segmento por dia, enquanto as vendas dos carros zero quilômetro somam pouco mais de 8 mil unidades/dia.

Pacote do governo

O governo federal anunciou o lançamento de um pacote de medidas “para modernizar o parque industrial, estimular o consumo, manter e criar empregos, reduzir emissões de carbono e contribuir para o crescimento econômico”.

Entre essas medidas está a redução de impostos como PIS, Cofins e IPI de veículos que custam até R$ 120 mil – que culminará na queda do valor de mercado de 33 modelos e 11 marcas de carros.

Segundo os ministérios da Fazenda e do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, comandados respectivamente por Fernando Haddad e Geraldo Alckmin, a redução de impostos será variável, escalonado a partir de um índice resultante do desempenho do veículo em três fatores: eficiência energética (nível de emissão de carbono); densidade industrial (capacidade de gerar emprego e crescimento no entorno); e preço (ampliação do acesso).

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Em mensagem à ONU, Lula diz que ofensas a Vini Júnior são “imperdoáveis”
Ibovespa encerra o mês em alta de 3,74%; dólar fecha a quarta-feira acima de R$ 5
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde