Segunda-feira, 04 de Julho de 2022

Home Variedades Viola Davis revela que um diretor a chamou pelo nome de sua empregada

Compartilhe esta notícia:

A atriz norte-americana Viola Davis revelou em entrevista organizada pela revista Variety e pela loja de artigos de luxo Kering durante o Festival de Cinema de Cannes que um diretor uma vez a chamou pelo nome da empregada dele.

A atriz vencedora do Oscar e do Emmy estava falando sobre a percepção de Hollywood em relação aos atores negros e como a quantidade de papéis que ela pode interpretar permanece limitada devido à sua cor de pele.

“Teve um diretor que fez isso comigo. Ele disse: ‘Louise!’ Eu o conhecia há 10 anos e ele me chamava de Louise e descobri que era porque o nome de sua empregada era Louise”, disse Viola.

“Eu tinha cerca de 30 anos na época, então foi há algum tempo. Mas o que você precisa perceber é que essas microagressões acontecem o tempo todo.”

Viola ganhou um Emmy por seu papel principal em “How to Get Away With Murder”, que foi uma das únicas séries protagonizadas por uma mulher negra na TV durante suas seis temporadas.

Mas a atriz admitiu que o programa não necessariamente abriu as portas para mais oportunidades na TV para mulheres que se parecem com ela.

“Não vejo muitas mulheres de pele escura em papéis principais na TV e nem mesmo em serviços de streaming (…). Crie espaço e narrativa para elas, para que, quando prosperarem, não prosperem apesar de sua circunstância, mas prosperem por causa de sua circunstância.”

Ao falar sobre ter sido rejeitada para papéis no passado, Davis disse que muitas vezes foi preterida por causa de sua raça ou porque Hollywood não a achava “bonita o suficiente”, o que a “tira do sério”. “Isso parte meu coração e me deixa com raiva.”

“Muito disso é baseado na raça. Realmente é”, acrescentou a atriz. “Sejamos honestos. Se eu tivesse as mesmas características e fosse cinco tons mais clara, seria um pouco diferente. E se eu tivesse cabelos loiros, olhos azuis e até nariz largo, seria um pouco diferente do que é agora. Poderíamos falar sobre colorismo, poderíamos falar sobre raça. Isso me irrita e partiu meu coração em vários projetos que não vou citar.”

Viola Davis já interpretou um papel coadjuvante em “Eat Pray Love” (“Comer, Rezar, Amar”), estrelado por Julia Roberts, mas parece que fazer uma versão dessa história com ela no papel principal não seria de interesse em Hollywood. Para a atriz, o motivo é que “as pessoas não conseguem conciliar a negritude com o despertar espiritual e a sexualidade. É demais para eles.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Cannes entra na era do metaverso para atingir o público jovem
Vera Fischer conta que recorreu à análise quando ex-marido teve câncer terminal
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde