Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

Home Mundo Zelensky afirma que apoio da China à Rússia estenderá a guerra na Ucrânia

Compartilhe esta notícia:

O apoio da China à Rússia prolongará a guerra na Ucrânia. A frase foi dita pelo presidente ucraniano Volodymyr Zelensky neste domingo (2), ao apelar aos países da Ásia-Pacífico para se juntarem à próxima cúpula de paz, que ele acusou o governo de Vladimir Putin de tentar impedir.

Zelensky fez o comentário em Singapura, durante uma aparição surpresa numa reunião de chefes de defesa de toda a Ásia-Pacífico, incluindo a China e os Estados Unidos. A fala acontece antes da conferência internacional de paz sobre a Ucrânia, marcada para 15 e 16 de junho na Suíça.

“Com o apoio da China à Rússia a guerra durará mais tempo. Isto é ruim para todo o mundo e para a política da China – que declara que apoia a integridade territorial e a soberania e declara-o oficialmente. Para eles não é bom”, disse Zelensky durante entrevista coletiva.

A China reivindica neutralidade no conflito e afirmou ser um defensor da paz, apesar de ter emergido como uma peça de salvação econômica fundamental e ter reforçado a sua já estreita parceria estratégica e diplomática com a Rússia desde a invasão da Ucrânia pelo país em fevereiro de 2022.

Os EUA também alegaram que a exportação de bens de dupla utilização da China para a Rússia está alimentando a base industrial de defesa do país em guerra e alertaram Pequim sobre as consequências de tal apoio – uma afirmação que Pequim refutou, dizendo que não forneceu armas a nenhum dos lados e mantém uma posição firme.

Zelensky mencionou esse apoio em comentários neste domingo, dizendo que certos elementos que compõem partes do armamento da Rússia “vêm da China”.

O líder ucraniano também alertou que a Rússia tenta pressionar os países a não aderirem à próxima cúpula internacional de paz – com a ajuda da China.

“A Rússia está tentando perturbar a cúpula de paz e isso é verdade… (A Rússia) está agora viajando por muitos países do mundo, ameaçando-os com o bloqueio dos produtos agrícolas, dos produtos alimentares, dos produtos químicos… está simplesmente empurrando o outros países do mundo para que não estejam presentes na cúpula”, disse Zelensky após discursar na conferência de defesa.

Quando questionado mais tarde sobre a declaração da China de que não participaria na cúpula de paz, o líder ucraniano acusou a Rússia de usar diplomatas chineses para perturbar a cúpula.

“É lamentável que um país tão grande, independente e poderoso como a China seja um instrumento nas mãos de Putin”, disse Zelensky, falando através de um intérprete.

O líder ucraniano acrescentou que não teve quaisquer reuniões com representantes chineses em Singapura, apesar do interesse do lado ucraniano em mais diálogo.

A China informou na semana passada que não enviaria uma delegação à cúpula de paz, afirmando que qualquer conferência internacional de paz deveria ter “reconhecimento da Rússia e da Ucrânia, participação igual de todas as partes e discussão justa de todos os planos de paz”.

O ministro chinês da Defesa Nacional, Dong Jun, num discurso no domingo anterior, disse que a China estava “promovendo conversas de paz com uma atitude responsável”.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Governo Lula condena ataque que deixou três brasileiros feridos no Líbano
Governo da Coreia do Norte informa que vai parar de enviar balões com lixo à Coreia do Sul
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News