Sábado, 18 de Maio de 2024

Home Política “Alexandre de Moraes exige que X viole leis brasileiras”, afirma o bilionário Elon Musk

Compartilhe esta notícia:

O dono do X (antigo Twitter), Elon Musk, disse, nesta segunda-feira (15), que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes exige que a rede social viole as leis brasileiras.

Em seu perfil oficial, o empresário escreveu que “as leis dos Estados Unidos impedem o X de participar de corrupção que viole as leis de outros países, que é o que Alexandre de Moraes está exigindo que façamos”, escreveu marcando a conta oficial do ministro.

Na publicação, Musk comentava uma nota do “Assuntos Governamentais Globais”, perfil institucional do X. Nela, é dito que a X Corp., empresa privada de Musk, foi intimada pelo Comitê Judiciário da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos para fornecer informações sobre as ordens do STF. “Para cumprir suas obrigações de acordo com a legislação dos EUA, a X Corp. respondeu ao Comitê”, informou o perfil institucional.

O embate entre o bilionário sul-africano e o ministro do STF ocorre desde o sábado, 6, quando Musk utilizou de seu perfil na rede social X para acusar Moraes de infringir a Constituição brasileira e promover censura em decisões judiciais. No dia seguinte, o empresário voltou a atacar Moraes, afirmando que o ministro deveria renunciar à sua cadeira na Corte ou sofrer um impeachment.

Em uma nota, o X alegou ter sido forçado, por decisões judicias, a bloquear determinadas contas populares e que não sabe os motivos pelos quais as ordens de bloqueio foram emitidas.

Em resposta, o ministro incluiu Musk como investigado no inquérito das milícias digitais por “dolosa instrumentalização” do X. Na última segunda, 8, o empresário repetiu o ato, chamando Moraes de “ditador” e afirmando que ele teria o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) “na coleira”.

Já última quarta-feira (10), Moraes se manifestou publicamente sobre a polêmica ao dizer que “talvez alguns alienígenas não saibam, mas passaram a aprender e tiveram conhecimento, da coragem e seriedade do Poder Judiciário brasileiro”.

“A população brasileira, as pessoas de bem, sabem que liberdade de expressão não é liberdade de agressão, não é liberdade para proliferação do ódio, do racismo, da misoginia, da homofobia, não é liberdade de defesa da tirania”, afirmou o ministro em sessão plenário do STF.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Douglas recusa convocação de Bernardinho para voltar à Seleção de vôlei: “Ciclo encerrado”
Brigada Militar apreende cerca de 1.800 quilos de substância utilizada para potencializar cocaína
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News