Sexta-feira, 12 de Julho de 2024

Home Tecnologia Android e iPhone: como saber se alguém está rastreando seu celular?

Compartilhe esta notícia:

As aplicações de rastreamento e spyware são uma realidade hoje e há vários anos, representando uma invasão perigosa à privacidade. A ESET, empresa de detecção proativa de ameaças, explica como reconhecer se um dispositivo móvel está sendo rastreado e o que fazer a respeito.

Mas como saber se estão rastreando seu dispositivo móvel? Primeiramente, cuidado com os cliques e também com os oportunistas: existem aplicativos e e-mails que podem conter spyware projetados para rastrear os dispositivos. A melhor prática para não ser vítima é baixar apps de meios oficiais e apenas clicar em links enviados por pessoas de confiança, que não levantem suspeitas.

Outros aplicativos de rastreamento e spyware exigem acesso físico ao celular por parte do atacante para sua instalação. Para evitar isso, a ESET recomenda manter o dispositivo seguro; uma boa prática é protegê-lo com um método de autenticação, como PIN, senha ou reconhecimento biométrico.

Jailbreak no iPhone

No caso específico do iPhone, a instalação de aplicativos de rastreamento ou spyware requer o processo chamado jailbreaking, que contorna as rigorosas regras da Apple sobre a instalação de software de fontes diferentes da App Store.

A particularidade é que, se isso acontecer com um telefone, você pode não notar a diferença. Se a pessoa que fez isso foi apressada e descuidada, é possível que não tenha removido o software que usou para fazer o jailbreak. Cydia, Icy, Installer, Installous ou SBSettings são algumas das ferramentas de jailbreak mais comuns. Para encontrá-las, basta deslizar o dedo para a direita na tela inicial do telefone, pois elas não aparecerão necessariamente com o ícone de um aplicativo.

Uso dos dados

A existência de um aplicativo de rastreamento ou spyware no celular também pode significar o uso excessivo de dados, especialmente porque é muito comum que eles usem o GPS para monitorar a localização do telefone e o roaming de dados para informar quem os controla.

A partir do menu de Configurações dos dispositivos (seja iPhone ou Android), é possível verificar o uso de dados e se algum aplicativo desconhecido está consumindo de forma excessiva. Se isso acontecer, é preciso desinstalá-lo imediatamente.

Ligações inesperadas

Existem outros sinais de que um dispositivo móvel pode estar sendo rastreado, como a bateria se esgotar mais rapidamente e ficar quente mesmo quando está inativa; o telefone permanecer ligado ao tentar desligar a tela ou ligar quando não está sendo usado; os aplicativos funcionam mais lentamente; haver aplicativos desconhecidos em execução em segundo plano; ou o ícone de localização se acender aleatoriamente. Por si só, esses fatores não indicam a presença de aplicativos de rastreamento, mas juntos podem representar um risco.

Mensagens estranhas

Uma mensagem de texto com o que parece ser um código de computador ou cheia de números confusos pode ser uma mensagem de “instrução” enviada pelo controle remoto do software de rastreamento para o telefone. O software espião opera ao receber essas mensagens, que às vezes podem aparecer na caixa de entrada.

O que fazer?

Verificar a configuração de localização: é possível que alguém não precise instalar nada para rastrear um dispositivo, já que algumas aplicações são configuradas por padrão para compartilhar a localização. Portanto, é necessário verificar periodicamente quem tem permissão para ver a localização ou desativar a opção de compartilhamento.

De acordo com a ESET, uma prática muito boa é verificar as permissões de todos os aplicativos para garantir que nenhum deles esteja compartilhando a localização. No caso dos aplicativos que realmente precisam da localização para funcionar (como o Google Maps, por exemplo), é aconselhável configurá-los para compartilhar a localização apenas quando estiverem sendo utilizados.

“De qualquer forma, se houver suspeita de espionagem, é necessário tomar precauções, fazendo um backup completo do seu computador, restaurando o telefone às configurações de fábrica e instalando apenas aplicativos conhecidos e confiáveis. Se estiver usando um iPhone que possa ter sido desbloqueado sem o seu conhecimento, atualizar para a versão mais recente do iOS desfará o jailbreak e removerá qualquer software malicioso, mas certifique-se de fazer um backup antes”, comenta Camilo Gutierrez Amaya, Chefe do Laboratório da ESET na América Latina.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Morte de fã da Taylor Swift, a estudante Ana Clara, repercute no exterior: “Calor sufocante e colapso”
Saiba porque as buscas por monstro do Lago Ness continuam 90 anos após foto borrada de “aparição”
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde