Quarta-feira, 01 de Dezembro de 2021

Home Carlos Roberto Schwartsmann Ao mestre, com carinho

Compartilhe esta notícia:

A história dos cirurgiões no mundo ocidental iniciou no século XVII, quando os barbeiros foram autorizados a realizar cirurgias e se tornaram médicos!

Operar é um ato artístico de 1ª grandeza. O cirurgião desenvolve sua arte no corpo humano com instrumentos cortantes que abrem caminhos nos tecidos frágeis e até vitais.

Na sala de cirurgia ele é o ator, o diretor e o roteirista. O pior cenário é a morte.

A maior glória é o aplauso, o reconhecimento!!

O cirurgião aprende a conviver com sentimentos paradoxais e opostos: agressividade e compaixão. Prepotência e afeto.

Precocemente na carreira pode desenvolver a ideia que tudo pode ser resolvido com a lâmina afiada do bisturi.

Um velho aforisma representa bem esta fase: “o cirurgião quando entra na sala de cirurgia pensa que é Deus, mas quando sai ele tem certeza”.

O equilíbrio só é alcançado quando ele desenvolve os cinco Hs descritos por Pitrez no seu livro “o ser médico”: Habilidade, Honestidade, Hodiernidade, Honorabilidade e Humildade.

Habilidade: não é possível ser um bom cirurgião sem ter destreza natural. Em toda arte a única maneira de melhorar seu desempenho, sua habilidade é com o treinamento repetitivo. Não deve ser considerado um elogio a referência: “ele possui duas mãos esquerdas”!

Honestidade: ser sempre fiel aos preceitos médicos. Jamais se deixar influenciar por vantagens financeiras. A cura é a maior meta a ser atingida.

Hodiernidade: é necessário estar atento para o desenvolvimento de novas técnicas. Aceitar a evolução tecnológica mesmo sabendo que o amor, o afeto e o sofrimento jamais serão robotizados.

Honorabilidade: ter o reconhecimento dos pacientes, dos colegas, da comunidade médica e da sociedade é o melhor presente a ser recebido.

Humildade: ter noção das suas limitações. É preciso ser prudente na indicação invasiva. O paciente deve ser visto como um todo e não como um órgão comprometido. Nós somos todos humanos!

O texto é uma homenagem aos meus professores de cirurgia, mas especialmente ao Prof. Dr. Fernando Pitrez. Sei que ficará feliz ao lê-lo!

O reconhecimento e a gratidão devem ser declarados durante a vida. Sorte nossa que o destino ainda nos preservou para saborear este ato. Obrigado grande mestre!

De acordo com o juramento de Hipócrates: “Penso estar honrando meu mestre como meu próprio pai!

 

Prof. Dr. Carlos Roberto Schwartsmann – médico e professor

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Carlos Roberto Schwartsmann

Fatos históricos do dia 11 de novembro
Vacinação chega a 300 dias e 290 milhões de doses
Deixe seu comentário
Pode te interessar

Carlos Roberto Schwartsmann O especialista

Carlos Roberto Schwartsmann Placebo: O melhor dos remédios!

Carlos Roberto Schwartsmann O quase esquecido juramento de Hipócrates

Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde