Sábado, 04 de Dezembro de 2021

Home em foco Após profusão de erros de juízes e do VAR, a CBF demite Leonardo Gaciba da chefia da Comissão de Arbitragem

Compartilhe esta notícia:

Leonardo Gaciba não é mais presidente da Comissão de Arbitragem da CBF. A decisão foi tomada nesta sexta (12) pelo presidente interino da entidade, Ednaldo Rodrigues, que está em São Paulo acompanhando a preparação da Seleção para os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo.

Vice da comissão, o também ex-árbitro Alício Pena Júnior assumirá o cargo até o final do Campeonato Brasileiro. Ele é um crítico aos processos dentro do órgão e deve fazer mais mudanças nos próximos dias. Em entrevista, Alício disse que os árbitros brasileiros são honestos e que tentará diminuir a pressão sobre eles até o fim da temporada.

A polêmica arbitragem de Vinicius Gonçalves Dias Araújo no jogo entre Flamengo e Bahia, na quinta-feira, no Maracanã, antecipou a mudança. O árbitro marcou um pênalti para o Rubro-Negro depois que a bola tocou no peito do zagueiro Conti, do Tricolor baiano. Ele manteve a decisão mesmo depois de ver as imagens no monitor do VAR.

Rodrigues já busca o substituto de Gaciba para aprofundar a reformulação da comissão a partir de janeiro. O presidente interino da CBF pretendia desfazer a atual comissão no final da temporada atual, mas decidiu antecipar a decisão após a série de erros da arbitragem nas últimas rodadas.

Gaciba estava no cargo desde 2019 e foi contratado por Rogério Caboclo para modernizar a arbitragem. A CBF investiu alto em tecnologia para ajudar os árbitros em campo.

Rodrigues está no função desde agosto. Ele substitui Caboclo, afastado do comando da CBF por 21 meses por assédio sexual e assédio moral a uma funcionária da entidade.

O VAR começou a ser usado em competições nacionais em 2018. No ano seguinte, o Campeonato Brasileiro foi disputado já com o árbitro de vídeo.

Maracanã

A falha do árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araújo na partida entre Flamengo e Bahia, no Maracanã, foi a responsável pela mudança de planos de Rodrigues.

O árbitro errou ao marcar o pênalti que originou o primeiro gol do Flamengo na vitória por 3 a 0. No lance, a bola bate no peito de Conti, do Bahia, dentro da área. O juiz foi ao VAR e, assim mesmo, manteve o pênalti.

A decisão irritou os jogadores e dirigentes do Bahia. O clube chegou a cogitar não voltar para o segundo tempo.

Reestruturação

Oo presidente interino da CBF começou a planejar a reestruturação da Comissão de Arbitragem. Rodrigues disse a aliados que a arbitragem estava deixando a desejar e errando muito, apesar do alto investimento feito em tecnologia para ajudar os juízes em campo.

O VAR começou a ser usado em competições nacionais em 2018. No ano seguinte, o Campeonato Brasileiro foi disputado já com o árbitro de vídeo.

Ele disse aos confidentes que avaliava a possibilidade de acabar com a concentração de poder nas mãos de Gaciba e pediu para o trabalho ser mais compartilhado com os outros integrantes do órgão.

A aliados, Rodrigues disse que a comissão era comandada num modelo arcaico e trabalhava com corporativismo ao não afastar os árbitros que erram nos jogos.

Segundo relato de interlocutores do presidente interino, os juízes deveriam passar por uma reciclagem antes de voltarem a apitar após falharem, o que não acontece atualmente. De acordo com pessoas próximas ao dirigente, a falta de reciclagem é a responsável pelos árbitros repetirem os erros na atual temporada.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Bolsonaro vai discutir pós-pandemia e alta do petróleo em viagem ao Oriente Médio
Ministro Ciro Nogueira completa cem dias na Casa Civil dividido entre papeis de amortecedor e político em campanha
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada