Terça-feira, 24 de Maio de 2022

Home Brasil Azul vai cancelar “centenas de voos” neste mês por falta de tripulantes

Compartilhe esta notícia:

Com uma alta de 405% nas dispensas médicas de tripulantes em janeiro deste ano em relação à média histórica, a Azul vai cancelar “centenas de voos” até o final do mês, disse nesta sexta-feira (7) Ondino Dutra, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA). A entidade representa pilotos e comissários de voo.

As ausências se dão diante da necessidade de isolamento de tripulantes com síndromes gripais como Covid-19, em meio ao avanço no País da variante ômicron, e do vírus H3N2 da influenza.

“O que a empresa nos disse hoje: ela [Azul] pretende cancelar centenas de voos em janeiro, na segunda quinzena, em especial, por falta de tripulantes”, disse Dutra.

Ele participou de uma live do sindicato para falar do impacto das síndromes gripais nas operações da Azul. Com cerca de 5.000 pilotos e comissários, a empresa aérea é a líder em transportes de passageiros no Brasil nos últimos 12 meses, segundo dados da Agência Nacional de Transporte Aéreo (Anac).

Segundo o sindicato, a Azul não informou quanto representava, em números absolutos, o aumento de 405% nas dispensas médicas.

A empresa propôs aos tripulantes a possibilidade de folgar uma vez a menos por mês até março — 9 vezes, em vez das 10 folgas mensais previstas em lei. Em troca, pagará bonificações que variam de R$ 489 a R$ 2.201 por folga concedida. O valor varia de acordo com a função: comissários ganham o menor valor; e comandantes de voos internacionais, o maior. A adesão dos funcionários é voluntária.

A Azul reafirmou que a reprogramação se deve ao aumento do número de dispensas médicas. Afirmou ainda que mais de 90% das operações normais e que os passageiros estão sendo notificados com antecedência sobre alterações.

Outras

Na quinta-feira (6), a Gol havia emitido um alerta para possíveis impactos em voos da empresa. A companhia procura voluntários entre os tripulantes com mais de 10 folgas por mês, o mínimo estipulado em lei, que queiram trabalhar usando as folgas adicionais.

A Latam informou que ainda não foi necessário alterar voos diante do aumento dos casos de síndromes gripais no Brasil. A empresa tem sofrido menos impactos pelo fato de ter contratado 3.400 funcionários em 2021 — para dar conta da alta temporada.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) diz monitorar a situação das empresas.

Aumento de casos

Um levantamento da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) divulgado na quinta (6) aponta que o índice de resultados positivos para a Covid-19 em testes de farmácia triplicou na última semana do ano em comparação aos sete dias anteriores, saltando de 11,8% para 33,3%.

Entre 27 de dezembro e 2 de janeiro, foram mais de 95 mil infectados – o equivalente a aproximadamente um terço dos testes realizados no período. Na semana anterior, foram 22 mil positivos – o que responde a 11,8% dos exames feitos em farmácias e drogarias.

Leia a íntegra da nota da Azul:

“A Azul informa que por razões operacionais alguns de seus voos do mês de janeiro estão sendo reprogramados. A companhia registrou um aumento no número de dispensas médicas entre seus Tripulantes – casos esses que, em sua totalidade, apresentaram um quadro com sintomas leves – e tem acompanhado o crescimento do número de casos de gripe e covid-19 no Brasil e no mundo. É importante ressaltar que mais de 90% das operações da companhia estão funcionando normalmente e que os Clientes impactados estão sendo notificados das alterações, reacomodados em outros voos da própria companhia e recebendo toda a assistência necessária conforme prevê a resolução 400 da Anac.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Deputado do PT pede investigação de Bia Kicis por vazamento de dados pessoais de médicos
Combate ao coronavírus: autoteste contra covid é proibido no Brasil por regra da Anvisa
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Bom Dia