Domingo, 26 de Maio de 2024

Home em foco Bolsas de Nova York fecham a semana em queda

Compartilhe esta notícia:

Os mercados acionários de Nova York fecharam em baixa, nesta sexta-feira (14). A abertura foi positiva, com investidores avaliando balanços corporativos, mas o fôlego foi curto, com indicadores dos Estados Unidos e declarações de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) reforçando a expectativa de mais altas de juros, o que tende a ser negativo para as ações em geral.

O índice Dow Jones fechou em queda de 1,34%, em 29.634,83 pontos, o S&P 500 caiu 2,37%, aos 3.583,07 pontos, e o Nasdaq recuou 3,08%, aos 10.321,39 pontos. Na comparação semanal, o Dow Jones avançou 1,15%, o S&P 500 recuou 1,55% e o Nasdaq teve baixa de 3,11%

O índice de sentimento do consumidor nos EUA subiu de 58,6 em setembro a 59,8 na preliminar de outubro, segundo a Universidade de Michigan. O resultado superou a previsão de 59 dos analistas consultados pelo Wall Street Journal. Além disso, a pesquisa também mostrou avanço nas expectativas para a inflação, no intervalo em um ano de 4,7% em setembro a 5,1% na prévia de outubro.

Após o dado, as bolsas de Nova York perderam fôlego. Entre dirigentes do Fed, Mary Daly (São Francisco) reafirmou o compromisso com altas de juros para conter a inflação, e Esther George (Kansas City) falou em linha similar.

Nesse contexto, o mercado acionário piorou ao longo da tarde. Entre algumas ações importantes, Apple caiu 3,21%, Meta recuou 2,71% e Amazon, 5%. Alphabet registrou baixa de 2,52% e Microsoft, de 2,42%. Entre as petroleiras, Chevron caiu 3,11% e ExxonMobil, 2,63%. Na contramão da maioria, Boeing subiu 0,57%.

Entre companhias que publicaram balanços nesta sexta, entre os bancos, Citigroup subiu 0,65%, JPMorgan teve alta de 1,66% e Morgan Stanley, na contramão, caiu 5,07% após resultados que decepcionaram o mercado. UnitedHealth, por sua vez, subiu 0,96% depois de seu balanço, que superou a expectativa.

O Julius Baer ainda comenta, em texto a clientes, que fatores técnicos influíram no mercado acionário americano. O dado acima do previsto da inflação ao consumidor provocou volatilidade na quinta, com uma grande virada no humor e alta forte no fim do dia. O Julius Baer comenta podem ter influído fatores como um apoio técnico aos índices ou ajustes de posições, entre outros.

Segundo ele, seja quais forem as razões, a movimentação das bolsas de Nova York provou que fatores técnicos podem dominar mercados no curto prazo, portanto investidores devem estar atentos para não serem tragados por essas movimentações.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Acusado de agredir modelo é solto depois de ser preso pela Interpol nos Emirados Árabes
Deputados afirmam que Trump sabia ter perdido eleição, mas continuou acusando fraude
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias