Sexta-feira, 17 de Maio de 2024

Home em foco Brasileira que vive em Londres relata reação de passageiros de metrô a morte de Elizabeth II

Compartilhe esta notícia:

A brasileira Ana Paula Dala Rosa, que vive em Londres há 15 anos, disse que a notícia da morte da rainha Elizabeth II nessa quinta-feira (8) foi recebida com muita tristeza e emoção pelos moradores da cidade. Ela estava no metrô quando foi notificada.

Ela disse que, após o anúncio, um dos passageiros gritou “God save the queen”, que pode ser traduzido como “Deus salve a rainha”, trecho do hino nacional britânico.

“Eu estava no trem no exato momento que a BBC News anunciou. Normalmente recebo uma notificação no meu celular com breaking news. Assim que saiu a notificação um passageiro que estava no meu vagão se levantou e anunciou bem alto ‘God save the Queen’”, contou Ana Paula.

Segundo Ana Paula, a população está realizando homenagens à rainha, entre elas, flores estão sendo deixadas no Buckingham Palace, residência oficial da família real.

“É o fim de uma era e você pode sentir uma grande sensação de tristeza nacional. Grande perda. Eu moro aqui metade da minha vida e estou muito triste com a morte dela, imagina pra quem é britânico e cresceu com a imagem da rainha. Vai ser difícil se acostumar com um rei em vez de uma rainha”, relatou.

Despedida

Ana Paula, que é natural de Pitanga, no Paraná, relatou que desde o anúncio que a rainha estava sobre observação médica o tom da população britânica já era de partida.

“A maioria dos comentários já era a respeito do quão grande foi o reinado dela e com um sentimento de despedida”, afirmou.

Para ela, o momento foi emocionante.

“Todos no vagão começaram a checar os celulares para terem certeza que não era uma brincadeira. Mas como a população já estava ciente da situação da rainha o clima no vagão foi bem triste”, disse.

Morte

Mais longeva monarca britânica da história, que passou 70 anos no trono, atravessou crises e guerras e virou ícone pop, a Rainha Elizabeth II morreu, aos 96 anos, no castelo de Balmoral, na Escócia. O anúncio foi feito pelos canais oficiais da família real.

Com a morte de Elizabeth, seu filho mais velho, o agora rei Charles, assume o trono do Reino Unido e de outros 14 países que têm o monarca britânico como chefe de Estado, como Austrália e Canadá. Segundo os ritos oficiais, o sucessor tinha algumas opções na escolha do nome que iria adotar, mas acabou seguindo o caminho tradicional e manteve o título de rei Charles III.

Em seu primeiro comunicado oficial como rei, Charles III disse que “a morte da minha amada mãe, Sua Majestade a Rainha, é um momento de grande tristeza para mim e para todos os membros da minha família”.

Os quatro filhos da rainha – Charles, Anne, Andrew e Edward – foram até a Escócia quando foi anunciado que a monarca estava sob supervisão médica. Filho mais velho de Charles, o príncipe William também foi até o castelo de Balmoral.

Elizabeth II tornou-se rainha aos 25 anos de idade, em 1952, após a morte do pai, o rei George VI, e foi coroada no ano seguinte. Na época, o primeiro-ministro era Winston Churchill. Ao longo de seu reinado, ela conheceu 15 premiês, incluindo Liz Truss, que tomou posse do cargo na última terça-feira (6).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Trump levou para casa na Flórida segredos nucleares de outro país
“Deus salve o rei”: após morte de Elizabeth II, hino britânico é atualizado
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News