Domingo, 26 de Maio de 2024

Home em foco Cansaço e depressão podem ser alerta de doença cardíaca

Compartilhe esta notícia:

Problemas para dormir, tontura, cansaço, falta de ar, náusea e até depressão podem ser sintomas de doenças cardiovasculares. A Associação Americana do Coração publicou um estudo que destaca os sintomas mais relatados em casos dessas doenças – alguns que não são tão comumente associados a elas. As seis condições consideradas no estudo são ataque cardíaco, doença valvular cardíaca, insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral (AVC), arritmia cardíaca e doença venal e arterial periférica (DVP e DAP).

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte nos Estados Unidos e no mundo e seus sintomas podem ser difíceis de identificar e monitorar quando não são frequentemente relacionados a esses quadros clínicos. É fácil desconfiar de um ataque cardíaco quando se sente dor no peito, mas conhecer outros sinais associados à condição pode fazer a diferença na hora de conseguir um diagnóstico eficaz e tratamento na hora certa.

Dados de pesquisas nos Estados Unidos mostram que pessoas com doenças cardíacas têm a ocorrência de depressão cerca de duas vezes maior em comparação com pessoas sem qualquer condição médica. O estudo da Associação Americana do Coração destaca que pessoas com dor torácica persistente, insuficiência cardíaca, sobreviventes de acidente vascular cerebral e indivíduos com doença arterial periférica comumente apresentam depressão ou ansiedade.

Os pesquisadores alertam para o fato de que alterações nas funções cognitivas e a presença da depressão ao longo de qualquer doença cardiovascular podem influenciar a capacidade de uma pessoa de perceber seus sintomas. “Monitorar e medir os sintomas com ferramentas que considerem adequadamente a depressão e a função cognitiva podem ajudar a melhorar o atendimento ao paciente, identificando mais rapidamente as pessoas que podem estar em maior risco”, conta Corrine Jurgens.

Antes de se preocupar com a possibilidade de problemas cardiológicos, é preciso saber que é importante considerar o contexto do paciente no que diz respeito a fatores de risco. “A interpretação de qualquer sintoma é baseada na probabilidade do indivíduo de desenvolver aquela doença. Esse tipo de generalização é fácil de fazer em termos de saúde coletiva, mas é preciso considerar diversos fatores”, ressalta Danilo.

Os fatores de risco, explica, são divididos entre não modificáveis, como a predisposição genética e a idade, e modificáveis, causados por hábitos como o tabagismo, consumo de álcool, padrões de sono irregulares, altos níveis de estresse, obesidade e alimentação não balanceada; que podem ser transformados para uma vida mais saudável.

Sinais de alerta

  1. Ataque cardíaco: falta de ar, suor frio, cansaço incomum, enjoo e tonturas.
  2. Insuficiência cardíaca: problemas gastrointestinais como dor no estômago, enjoo, vômitos e perda de apetite; insônia; depressão e ansiedade e disfunção cognitiva, que se manifesta com problemas de memória e cansaço mental.
  3. Doença da válvula cardíaca: hipertensão pulmonar, fragilidade física em mulheres e dor torácica em homens.
  4. AVC: dor de cabeça e alteração do estado mental, principalmente em mulheres.
  5. Arritmia cardíaca: dor no peito, desmaio e ansiedade.
  6. Doença venal e arterial periférica (DVP e DAP): depressão, irritação na pele, sensação de peso nas pernas, síndrome das pernas inquietas e cãibras.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Em prisão domiciliar Roberto Jefferson escala “falso” padre ortodoxo para seu vice na chapa à Presidência da República
Ex-mulher entra com ação na Justiça Eleitoral para impedir o presidente da Câmara, Arhur Lira, de se candidatar
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias