Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024

Home Mundo Chefe de segurança da informação do Twitter deixa cargo

Compartilhe esta notícia:

A diretora de segurança da informação do Twitter anunciou sua demissão na quinta-feira (10), deixando um dos cargos mais críticos da empresa no momento em que o escrutínio está aumentando sobre o futuro do Twitter e as decisões erráticas de seu novo proprietário, Elon Musk.

Em um tweet, Lea Kissner disse que estava ansiosa para descobrir seus próximos passos. “Tomei a difícil decisão de deixar o Twitter”, tuitou Kissner. “Tive a oportunidade de trabalhar com pessoas incríveis e estou muito orgulhoso das equipes de privacidade, segurança e TI e do trabalho que fizemos.”

Kissner não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, nem ofereceu publicamente suas razões para deixar o Twitter.

A saída de Kissner supostamente coincidiu com as demissões de vários outros líderes do Twitter na noite de quarta-feira (9) por temores sobre a exposição legal da empresa perante a Comissão Federal de Comércio.

O jornalista independente Casey Newton e The Verge relataram pela primeira vez as demissões.

Na mensagem do Slack, um funcionário do Twitter escreveu que a única prioridade de Musk é “recuperar as perdas em que está incorrendo como resultado de não cumprir sua obrigação de comprar o Twitter”.

A postagem do funcionário também alegou que o foco de Musk em monetizar a plataforma poderia prejudicar usuários vulneráveis, incluindo ativistas de direitos humanos e dissidentes políticos.

Poderia até colocar os próprios funcionários do Twitter em risco legal, sugeria a mensagem, depois que o funcionário alegou que Musk não estava preocupado com a potencial responsabilidade do Twitter perante a FTC.

O funcionário alegou ter ouvido Alex Spiro, advogado de Musk e, de acordo com a mensagem, o novo chefe jurídico do Twitter, dizendo “Elon coloca foguetes no espaço, ele não tem medo da FTC”.

Spiro não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Em um comunicado, um porta-voz da FTC disse que está “acompanhando os desenvolvimentos recentes no Twitter com profunda preocupação”.

“Nenhum CEO ou empresa está acima da lei, e as empresas devem seguir nossos decretos de consentimento”, disse o porta-voz. “Nossa ordem de consentimento revisada nos dá novas ferramentas para garantir a conformidade e estamos preparados para usá-las.”

O Twitter fez um acordo duas vezes com essa agência sobre violações de privacidade do usuário e enfrenta alegações de denunciantes de seu ex-chefe de segurança, Peiter “Mudge” Zatko, de que a empresa sob o ex-CEO Parag Agrawal violou suas obrigações da FTC pela terceira vez. Se comprovadas, as alegações de Zatko podem resultar em bilhões de dólares em multas e responsabilidade pessoal para Agrawal.

“Isso colocará uma enorme quantidade de risco pessoal, profissional e legal para os engenheiros”, alertou a mensagem, de acordo com o The Verge. “Antecipo que todos vocês serão pressionados pela administração a promover mudanças que provavelmente levarão a grandes incidentes.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Procurador-Geral da República defende que regras para execução de orçamento secreto são constitucionais
Capacidade de armazenagem agrícola aumentou 3% no Brasil
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde