Terça-feira, 16 de Abril de 2024

Home Rio Grande do Sul Chegam a 182 os casos confirmados da varíola dos macacos no Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

Com seis novos testes positivos divulgados nesta sexta-feira (23), o Rio Grande do Sul soma 182 casos confirmados da varíola dos macacos (monkeypox), doença que chegou ao gaúcho há três meses. Outras 235 suspeitas de contágio permanecem sob investigação pela Secretaria Estadual da Saúde (SES).

Os boletins epidemiológicos são divulgados todos os dias úteis, por volta das 16h, por meio de link acessível a qualquer cidadão no site saude.rs.gov.br/monkeypox. Na estatística compartilhada publicamente não é fornecido um detalhamento sobre o perfil dos pacientes.

Confira, a seguir, a lista de 36 cidades gaúchas onde a doença já foi constatada. A estatística é reproduzida em ordem decrescente, de acordo com o número de ocorrências.

– Porto Alegre (98 casos) – uma das ocorrências é de indivíduo residente no Exterior e que visitava a capital gaúcha quando se tornou o primeiro paciente no Estado, mediante confirmação de caso no dia 13 de junho.

– Canoas (16 casos).

– Novo Hamburgo (10 casos).

– Viamão (10 casos).

– Caxias do Sul (4 casos).

– Garibaldi (3 casos).

– Gramado (3 casos).

– Igrejinha (3 casos).

– Campo Bom (3 casos).

– Alvorada (2 casos).

– Estância Velha (2 casos).

– São Leopoldo (2 casos).

– Sapiranga (2 casos).

– Uruguaiana (2 casos).

– Bagé (1 caso).

– Cachoeirinha (1 caso).

– Campinas do Sul (1 caso).

– Eldorado do Sul (1 caso).

– Pelotas (1 caso).

– Esteio (1 caso).

– Farroupilha (1 caso).

– Ijuí (1 caso).

– Ivoti (1 caso).

– Lajeado (1 caso).

– Marau (1 caso).

– Monte Belo do Sul (1 caso).

– Morro Reuter (1 caso).

– Nova Petrópolis (1 caso).

– Parobé (1 caso).

– Passo Fundo (1 caso).

– Pelotas (1 caso).

– Portão (1 caso).

– Rio Grande (1 caso).

– Santa Maria (1 caso).

– Santo Ângelo (1 caso).

– São Marcos (1 caso).

Alerta estadual

No começo de agosto, o avanço da varíola dos macacos no Rio Grande do Sul levou o governo gaúcho a emitir alerta epidemiológico. O documento reforça medidas necessárias nos serviços públicos ou particulares do setor, tanto em âmbito estadual quanto municipal.

Dentre as diretrizes está a necessidade de que os casos suspeitos da doença sejam comunicados de forma imediata pelos profissionais de saúde às prefeituras e à pasta estadual da setor. Também determina a coleta de amostras para confirmação de diagnóstico em laboratório.

Preconiza, ainda, o isolamento social dos infectados (protocolo já recomendado em casos de coronavírus), a identificação e monitoramento de contatos próximos ao indivíduo. Isso vale para suspeita ou confirmação de contágio pela varíola dos macacos.

Contágio e sintomas

A varíola dos macacos é uma doença transmitida entre humanos, por meio de vírus. Ocorre principalmente por meio de contato pessoal com secreção respiratória, lesão de pele de pessoa infectada ou de objeto recentemente contaminado.

Os sintomas incluem erupções que geralmente se desenvolvem no rosto e depois se espalham por outras partes do corpo, gerando uma crosta. Quando esta desaparece, o indivíduo já não é mais vetor de transmissão – o período de incubação é de seis a 16 dias (prazo que pode chegar a 21 dias).

O diagnóstico é laboratorial, com teste molecular ou sequenciamento genético. O procedimento deve ser realizado em todos os pacientes com quadro compatível com a doença. As amostras são direcionadas a laboratórios de referência – no Rio Grande do Sul, recorre-se ao Instituto Adolf Lutz (São Paulo).

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a varíola dos macacos pode ser classificada como autolimitante, ou seja: o paciente pode se curar após o período agudo da infecção. Já a gravidade varia conforme o indivíduo, sendo que na maioria dos casos não há risco de morte.

Mais informações e orientações sobre a doença, prevenção e notas técnicas direcionadas aos serviços de saúde estão disponíveis no site atencaobasica.saude.rs.gov.br.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Polícia prende terceiro suspeito de envolvimento na morte de ganhador da Mega-Sena
Justiça Eleitoral proíbe Bolsonaro de usar imagens do discurso na ONU na campanha
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde