Terça-feira, 23 de Julho de 2024

Home em foco Com Lula na China, Geraldo Alckmin acumulou os despachos no Planalto com as funções de vice e de ministro do Desenvolvimento

Compartilhe esta notícia:

Em uma semana como presidente em exercício, Geraldo Alckmin desviou de piadas sobre o uso da “caneta cheia”, expressão que costuma usar, e tocou todas as agendas longe da cadeira e da mesa do chefe. Com discrição, pediu apoio às pautas do governo no Congresso e despachou no Palácio do Planalto. Enquanto Luiz Inácio Lula da Silva cumpria agenda na China, contudo, o maior foco de sua curta gestão foi reforçar o coro contra a taxa de juros do Banco Central.

Doze pessoas que tiveram encontros com Alckmin durante a semana. A políticos, empresários, presidentes de entidades e economistas, ele fez um apelo para que endossem as críticas do governo à gestão de Roberto Campos Neto no BC.

Após ouvir, tomar nota das demandas e contar histórias de Pindamonhangaba (SP), sua cidade natal, o presidente em exercício também não encerrava o encontro sem antes pedir o apoio a outros dois desafios: a aprovação do novo arcabouço fiscal e da reforma tributária.

Alckmin tem repetido que a taxa de juros de 13,75% trava a economia do país, a captação de investimentos e o crédito. Com a queda da inflação do país em março, verificada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), afirmou que há ambiente mais favorável para o BC recuar.

Para Lula, a manutenção da Selic neste patamar poderá afetar a performance da economia e o desempenho do próprio governo. Na terça-feira, o presidente da Federação dos Trabalhadores das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo, Sérgio Leite, esteve com Alckmin e tratou do assunto.

“O governo abandonou um pouco aquele debate de questionar autonomia do BC, então se faz um apelo social, do setor de trabalhadores, empresários, que precisa reduzir juros. E ele (Alckmin) tem feito esse apelo”, afirma Sérgio Leite.

Outros relatos trazem a mesma preocupação.

“Alckmin fez uma exposição mostrando que, se a gente quiser crescer em geração de emprego e distribuição de renda, nós vamos precisar ajudar no movimento do governo para baixar os juros”, afirma o deputado federal Airton Faleiro (PT-PA).

O vice repetiu o mantra também com o ex-secretário da Fazenda de São Paulo Felipe Salto e economistas do mercado financeiro, quando argumentou que os juros neste patamar prejudicam o setor produtivo.

Junto com uma comitiva do Pará, o deputado Airton Faleiro entrou no gabinete presidencial liderando um grupo de parlamentares e brincou com o anfitrião: “Chegamos para uma agenda “três em um”: com ministro (do Desenvolvimento), vice-presidente e presidente em exercício”.

Alckmin, no entanto, mantém a postura comedida, inclusive nas piadas sobre o posto que ocupa desde o dia 11.

Ao ouvir de outro aliado que estava com a caneta com a “tinta cheia”, Alckmin respondeu, sorrindo, “que é uma tinta que apaga”, em referência à posição temporária.

O presidente em exercício despachou do gabinete presidencial, mas não sentou na cadeira de Lula nem usou a mesa do chefe. Conduziu as conversas dos sofás do gabinete. As reuniões maiores fez em uma mesa de uma sala anexa. Não saiu do gabinete para almoçar e cumpriu expediente de 16 horas por dia.

Em um caderno de espiral, Alckmin anotou todas as demandas, prometeu encaminhamentos junto à equipe e demonstrou otimismo. Defendeu os primeiros cem dias do governo, mas afirmou que agora é preciso dar um segundo passo, cuidar da economia e pôr na rua medidas que melhorem a vida das pessoas. A defesa da reforma tributária consta em todos seus argumentos, segundos relatos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Criado para fiscalizar e julgar infrações de promotores e procuradores, o Conselho Nacional do Ministério Público aumentou, no último ano, gastos com viagens ao exterior de conselheiros, auxiliares, assessores e até mesmo convidados
O direito popular de propor ao Congresso projetos de lei é assegurado pela Constituição, mas praticamente ignorado pela Câmara dos Deputados e Senado
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News