Quarta-feira, 17 de Abril de 2024

Home Brasil Deltacron: segundo possível caso no Brasil está sem resposta há quase 20 dias

Compartilhe esta notícia:

Mais de duas semanas após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmar que o Brasil poderia ter registrado os primeiros casos da Deltacron — a combinação da Delta e da Ômicron — ainda não há um resultado conclusivo sobre a chegada no país da nova variante da covid. É a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) quem conduz os procedimentos laboratoriais para confirmar se a infecção é, de fato, uma recombinação genética das duas cepas ou uma coinfecção das duas variantes anteriores.

Integrantes do ministério afirmaram que o laboratório de referência ainda está isolando o vírus para realizar o sequenciamento genômico, procedimento laboratorial para confirmar o diagnóstico.

O virologista e epidemiologista do Instituto Todos pela Saúde (ITpS), Anderson F. Brito, explica que o que se conhece por Deltacron são três recombinações com características genéticas diferentes, recentemente designadas:

“Detectar recombinação é mais complexo do que atribuir um genoma a uma das linhagens que já foram propostas de antemão. O sequenciamento genético de uma amostra gera fragmentos, que, uma vez montados, levam a geração de um genoma. Ao sequenciar um caso de coinfecção, em que temos ali dois vírus, os fragmentos terão características de um vírus e de outro. Quando uma pessoa é infectada por um vírus híbrido, recombinante de outros dois, também teremos fragmentos que, ora batem com um vírus, ora com o outro.”

Cabe ao ministério e à secretária de Saúde divulgar o resultado, diz a Fiocruz. Segundo interlocutores, não há prazo para conclusão da análise.

“Quando os vírus são muito parecidos, identificar se é coinfecção ou recombinante é tarefa difícil. Tudo dependerá do quão desafiador o caso é e se temos ou não temos outros já decifrados antes, que podem servir de molde para comparações”, detalha o pesquisador, integrante do Pango Network, iniciativa de voluntários que ajudam a classificar novas linhagens de coronavírus.

A Fiocruz e a Secretaria de Saúde do Estado do Pará (SES-PA) informam não ter atualizações sobre o resultado.

“O caso suspeito identificado no Pará permanece em investigação e não houve nenhum registro de novo caso”, diz a nota do ministério.

O ministério descartou a primeira infecção em potencial por Deltacron. Testes da Fiocruz demonstraram que o paciente havia sido contaminado ao mesmo tempo pela Delta e pela Ômicron, duas variantes de preocupação. O resultado saiu em 18 de fevereiro.

Três dias antes, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, havia confirmado a detecção de dois casos de Deltacron no Brasil. Documento obtido pela reportagem indicava, na data, que o resultado dos sequenciamentos genéticos feitos pela Fiocruz para determinar se os casos até então sob suspeita ainda precisavam ser confirmados por meio de outros procedimentos laboratoriais.

Em seguida, o cardiologista recuou e afirmou que os casos ainda estavam em análise:

“O caso está em análise. Havia recebido a informação que os casos estariam confirmados, mas a área técnica posteriormente me informou que a confirmação definitiva sairia somente na sexta. Todavia, mesmo que haja a confirmação, não alterará o cenário epidemiológico vigente”, afirmou Queiroga na ocasião.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Veja como sacar dinheiro esquecido do PIS/Pasep
Governo federal dispensa o uso de máscaras no trabalho em locais em que não há obrigatoriedade nos ambientes fechados
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias