Quarta-feira, 17 de Abril de 2024

Home Eleições 22 Dos 55 deputados estaduais da atual legislatura gaúcha, cinco entraram como suplentes

Compartilhe esta notícia:

Dos 55 deputados estaduais que integram a atual legislatura no Rio Grande do Sul (2019-2022), 50 devem concluir o mandato. Já os outros cinco são suplentes que acabaram assumindo a titularidade – número que chega a nove se considerados, ao longo desses quatro anos, todos os que exerceram o cargo de forma temporária ou permanente.

Dos cinco que acabaram assumindo a titularidade, quatro foram empossados, inicialmente, para substituir eleitos que se afastaram para exercer cargo de secretário estadual. Foi o caso de Carlos Búrigo (MDB), Rodrigo Lorenzoni (PL), Patrícia Alba (MDB) e Beto Fantinel (MDB).

A única suplente que já assumiu a titularidade ao ser convocada foi Stela Farias (PT), em 2022. Motivo: a decisão da Justiça Eleitoral que determinou a perda de mandato de Luís Augusto Lara (PTB).

Os outros quatro suplentes que chegaram a exercer o mandato no Legislativo gaúcho durante o período ocuparam a cadeira temporariamente em 2021 e 2022: Clair Kuhn (MDB), Regina Becker (União), Marcus Vinícius (PP), e Faisal Karam (PSDB).

Vale ressaltar, ainda, que 11 dos 55 integrantes (20%) do Legislativo gaúcho não tentam a reeleição para o mesmo cargo, por estarem envolvidos em outros projetos políticos. É o caso de Gabriel Souza (MDB), ex-presidente da Casa e agora candidato a vice-governador da chapa de Eduardo Leite (PSDB).

MDB

Quatro suplentes do MDB, que concorreu com chapa pura em 2018, assumiram vagas na Casa na 55ª Legislatura. Logo na primeira sessão ordinária do ano, em 5 de fevereiro de 2019, com a ida do titular Juvir Costella para a Secretaria de Estado dos Transportes, tomou posse o 1º suplente do partido, Carlos Búrigo.

Ele continuou na bancada como suplente até 9 de dezembro de 2020, quando o titular Sebastião Melo renunciou ao mandato para se dedicar à transição da prefeitura de Porto Alegre, já que obteve vitória nas eleições municipais de 2020.

Na mesma data, a segunda suplente do MDB, Patrícia Alba, então foi convocada e ficou substituindo Costella. De 15 a 23 de dezembro de 2020, Costella reassumiu seu mandato na Assembleia Legislativa. Após, voltou para o Executivo, o que fez com que Patrícia Alba retornasse à Casa.

Em 1º de janeiro de 2021, quando o titular Fábio Branco renunciou ao mandato por ter assumido o cargo de prefeito de Rio Grande, Patrícia Alba tornou-se titular na sua bancada.

Com isso, foi convocada a 3º suplente do MDB, Comandante Nádia, que se declarou impedida de assumir a vaga, já que havia trocado de sigla partidária. Assim, assumiu o 4º suplente, Beto Fantinel, na vaga de Costella.

Em 9 de março de 2021, com a ida do titular Edson Brum para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, foi empossado o 5º suplente, Clair Kuhn. Em 31 de março de 2022, Costella retomou seu mandato no Parlamento, mas Edson Brum se mantém no governo.

Com isso, Fantinel passa a ocupar a vaga de Brum e Kuhn deixa a Casa. E com a renúncia de Brum para assumir como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, , em 14 de junho, Fantinel se tornou titular na bancada.

PSL/DEM

Na sessão de 27 de março de 2019, o primeiro suplente da coligação “Rio Grande Acima de Tudo”, Rodrigo Lorenzoni (DEM na época), assumiu a vaga do deputado Ruy Irigaray (PSL), que tomou posse como secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

Lorenzoni permaneceu no Parlamento até 21 de fevereiro de 2020, quando Irigaray reassumiu seu mandato na Casa. Em 29 de março de 2022, Lorenzoni volta à Casa, agora como titular, após o Legislativo gaúcho aprovar a perda de mandato de Irigaray.

PPS/Rede/PSDB/PHS

Na sessão de 23 de março de 2021, o primeiro suplente da coligação “Juntos pelo Rio Grande”, Faisal Karam (PSDB) assumiu a vaga do titular Luiz Henrique Viana (PSDB), que foi exercer o cargo de secretário de Estado de Meio Ambiente e Infraestrutura. Faisal permaneceu na Casa até 31 de março deste ano, quando Viana reassumiu seu mandato.

PP/PTB

A 1ª suplente da coligação “Trabalho e Progresso”, Regina Becker (PTB na época), assumiu, em 30 de março de 2021, a vaga da titular Silvana Covatti (PP), que se tornou secretária estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Passados seis dias, Regina voltou ao Executivo, onde exercia o cargo de secretária estadual do Trabalho e Assistência Social. Com isso, foi convocado o 2º suplente da coligação, Marcus Vinícius (PP), que permaneceu na vaga de Silvana até 31 de março passado, quando ela retornou à Assembleia Legislativa.

PT

Na sessão de 15 de março de 2022, a 1ª suplente do PT, Stela Farias, tomou posse como titular no Parlamento gaúcho. Ela ficou no lugar de Luís Augusto Lara (PTB), que teve a perda de mandato declarada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS) em 4 de março. A definição de quem ocuparia a vaga de Lara foi feita pela Corte após nova totalização de votos do pleito de 2018.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Eleições 22

Apple anuncia transferência da produção do iPhone 14 da China para Índia
Fifa inicia última fase da venda de ingressos para a Copa do Mundo
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias