Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Home Flávio Pereira Eleito governador, Eduardo Leite pode renunciar novamente em 2026 e entregar governo a vice do MDB

Compartilhe esta notícia:

O ex-governador Eduardo Leite – que renunciou ao governo em 31 de março – deve anunciar na segunda-feira que pretende concorrer novamente ao Palácio Piratini, revendo sua posição contrária à reeleição. O tucano espera o apoio do MDB, a quem reserva a indicação do candidato a vice-governador. Como mantém o foco de disputar a presidência da República, o MDB teria como atrativo, além de manter e até ampliar os espaços no atual governo, a expectativa de, em caso de vitória da aliança, assumir o governo em 2026, com nova e possível renuncia de Eduardo Leite ao cargo.

Rejeição a Tebet é maior entre todos os candidatos

Pesquisa divulgada na sexta-feira (10/6) pelo PoderData, inclui pela primeira vez a pré-candidata do MDB, Simone Tebet. E revela que a senadora tem disparado a maior rejeição: 63% entre os eleitores ouvidos.

MDB rachado no apoio a Eduardo Leite

No MDB gaúcho, há uma clara divisão ao acordo que prevê a retirada da candidatura ao governo do estado e apoio a Eduardo Leite. Ontem, o presidente do partido em Porto Alegre, o deputado Tiago Simon, foi enfático ao afirmar que o partido não vai apoiar a candidatura de Eduardo Leite. Osmar Terra, ex-ministro e atual deputado federal, também deixou claro: “se o Gabriel Souza quiser ser candidato a vice de Eduardo Leite, vamos à convenção com a candidatura de Cesar Schirmer”. Terra falou à jornalista Denise Rothenburg, do Correio Braziliense: “o MDB é quem tem maior estrutura. Se o PSDB quiser ter candidato, é um direito dele, mas isso não quer dizer que o MDB apoiará. Vamos à convenção”.

Forças Armadas defendem debate para melhorar segurança das urnas

O ministro da Defesa, General Paulo Sérgio, destacou em carta ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Edson Fachin, o propósito das Forças Armadas em colaborar com a melhoria da segurança das urnas ao propor sete medidas que, segundo o general, não foram discutidas até o momento e, por isso, não “se sentem devidamente prestigiadas”:

“Até o momento, não houve a discussão técnica mencionada, não por parte das Forças Armadas, mas pelo TSE ter sinalizado que não pretende aprofundar a discussão. (…) Até o momento, reitero, as Forças Armadas não se sentem devidamente prestigiadas por atenderem ao honroso convite do TSE para integrar a CTE (Comissão de Transparência das Eleições)”, escreveu o ministro.

Na conversa com Joe Biden, Jair Bolsonaro defende fortalecimento da democracia

O presidente Jair Bolsonaro reiterou durante o encontro com o presidente americano Joe Biden, na 9ª Cúpula das Américas, que “nós queremos eleições limpas, confiáveis e auditáveis, para que não sobre nenhuma dúvida sobre o pleito. O pilar fundamental de uma democracia são eleições limpas e transparentes. Se estamos trabalhando por mais transparência no pleito eleitoral, estamos fortalecendo ainda mais a nossa democracia”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Simone Tebet comemora apoio do PSDB e aguarda retirada da candidatura do MDB no RS
É a palavra do presidente do STF: anulação formal dos processos não inocenta o ex-presidiário Lula
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa