Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Home Flávio Pereira É a palavra do presidente do STF: anulação formal dos processos não inocenta o ex-presidiário Lula

Compartilhe esta notícia:

O presidente do STF, Luiz Fux confirmou uma evidência e desfez a Fake News que a velha imprensa, e militantes da esquerda têm aplicado: a de que o ex-presidiário Lula teria sido inocentado, quando seus processos foram anulados por um erro formal. No caso, um erro do CEP da comarca. O presidente do STF esclareceu que a anulação dos processos derivados da Operação Lava Jato foi um ato “formal”, e reafirmou o entendimento de que os erros processuais não apagam os fatos que foram demonstrados naquelas investigações. Fux, um ex-promotor de Justiça, e juiz de carreira, o único na atual composição do STF que prestou concurso para a magistratura, devia este esclarecimento aos seus pares, e à sociedade brasileira. Ele esclareceu o fato, em evento ocorrido em Belém em homenagem aos 75 anos do Tribunal de Contas do Pará:

“Tive a oportunidade, nesses dez anos de Supremo Tribunal Federal, de julgar de casos referentes a corrupção, que ocorreu no Brasil. Ninguém pode esquecer que ocorreu no Brasil, no mensalão, na Lava-Jato, muito embora tenha havido uma anulação formal, mas aqueles 50 milhões das malas eram verdadeiros, não eram notas americanas falsificadas. O gerente que trabalhava na Petrobras devolveu 98 milhões de dólares e confessou efetivamente que tinha assim agido”.

Na terra de Helder Barbalho, Fux critica corrupção

O presidente do STF afirmou ainda, referindo-se à corrupção, que “cada ato de corrupção é um colégio que fica sem merenda para as crianças. Cada ato de corrupção é um hospital sem leitos. é um lugar onde não há saneamento. E onde não há saneamento, não há saúde”. Luiz Fux, ao comentar a corrupção, parecia estar falando de corda em casa de enforcado. Dentre as autoridades presentes ao ato, estava o governador do Pará Helder Barbalho, filho do senador Jader Barbalho, veterano em responder processos por corrupção e peculato. Três inquéritos sigilosos do Superior Tribunal de Justiça miram a gestão do governador Helder Barbalho (MDB), suspeito de participar de um esquema criminoso instalado na administração para fraudar licitações e desviar recursos públicos da área de saúde. As apurações tratam da gestão de hospitais de campanha em Belém e municípios do interior. Os valores firmados ultrapassam R$ 1,2 bilhão. A Polícia Federal pediu ao STJ para indiciar Helder Barbalho, o ex-secretário de Saúde, Alberto Beltrame, além de outras seis pessoas, pela compra irregular de respiradores para combate à Covid-19.

Crise é moral, afirma Sérgio Moro

O ex-ministro da Justiça e ex-juiz titular da Lava Jato, Sérgio Moro, repercutiu as declarações do presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux. “Palavras fortes do Ministro Fux. Todo o roubo ou o saque dos cofres públicos está sendo infelizmente esquecido. A crise é acima de tudo moral”, escreveu Moro em sua conta no Twitter.

Eduardo Leite pode anunciar hoje pré-candidatura ao governo do Estado

Menos de 80 dias depois de ter descartado o governo do Rio Grande do Sul, em busca de um projeto maior, a disputa à presidência da Republica, o ex-governador gaúcho Eduardo Leite deverá rever a sua firme posição contra a reeleição, e oficializar a pré-candidatura nesta segunda-feira. Será após a reunião da executiva estadual do PSDB, marcada para o meio-dia, em Porto Alegre. Um acordo nacional firmado pelos caciques do MDB e PSDB para apoio à candidatura da senadora Simone Tebet à presidência, exige reciprocidade do MDB no Rio Grande do Sul, no Mato Grosso do Sul e em Pernambuco.

Pressão e promessas ao MDB gaúcho

Até o início da reunião da executiva do PSDB marcada para o meio dia, será muito forte a pressão sobre o MDB gaúcho, para que desista da candidatura ao governo do Estado, em troca de uma vaga de vice na chapa de Eduardo Leite. A intenção seria anunciar na coletiva, a aliança PSDB , MDB e PSD. Subjetivamente existiria a promessa ao MDB de maior espaço – mais cargos – já no atual governo, e em caso de vitória, a garantia do MDB assumir o governo já em 2026, com nova renúncia de Leite para disputar a presidência da Republica. Nas conversas com os caciques do MDB, os tucanos sugerem que “o MDB abra mão de uma candidatura que não decolou, e se alie a um candidato viável”.

Governo gaúcho insiste em doar quase R$ 500 milhões ao Dnit

Em meio a questões emergenciais, como o atraso no pagamento fornecedores do IPE Saúde (plano de Saúde dos servidores do estado), reforma de delegacias de policia, quartéis da Brigada Militar e escolas estaduais, o Palácio Piratini insiste com pedido de urgência para aprovar na Assembléia legislativa, o projeto que autoriza o governo estadual gaúcho a doar cerca de R$ 500 milhões que estariam “sobrando” no caixa do Tesouro, para que empreiteiras realizem obras que cabem ao Dnit. As obras, de responsabilidade do Governo Federal, ocorreriam principalmente em trechos das BRs 116 e 290.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Eleito governador, Eduardo Leite pode renunciar novamente em 2026 e entregar governo a vice do MDB
Preparado para a próxima maratona
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa