Terça-feira, 05 de Julho de 2022

Home Economia Entenda como o governo e o Congresso querem baixar o preço da gasolina e da conta de luz

Compartilhe esta notícia:

A recente mudança no comando da Petrobras é um dos movimentos que o governo e o Congresso estão fazendo para tentar conter o preço da gasolina e da conta de luz, como reduzir a alíquota de ICMS para 17% em todos os Estados ou suspender a paridade dos preços de combustíveis com o mercado internacional.

A inflação acumulada em 12 meses subiu para 12,13% em abril, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Analistas ouvidos pelo Estadão apontam que a inflação alta será o ponto central do debate eleitoral este ano, o que impacta a campanha de Jair Bolsonaro à reeleição.

Veja as principais ações que estão em andamento para reduzir o preço da gasolina e da conta de luz:

— Mudança na Petrobras e paridade de preços:

O governo quer que o novo presidente da Petrobras atue mais ativamente para segurar os reajustes de combustíveis, diminuindo sua frequência. Atualmente, a estatal define os preços dos combustíveis com base principalmente na variação do petróleo no mercado internacional, e uma alternativa é suspender essa paridade em momentos de crise e alta volatilidade no preço do petróleo. Para isso, no entanto, seria preciso mudar o próprio estatuto da Petrobrás.

— ICMS em 17%:

No Congresso, um projeto de lei complementar estabelece alíquota máxima de 17% para a cobrança no ICMS, imposto estadual, sobre energia e combustíveis. Hoje, esse imposto pode chegar a até 34%. De acordo com estimativas do BTG, a iniciativa tem potencial para reduzir em 1,39 ponto porcentual a inflação neste ano.

Como este projeto, caso aprovado, diminui consideravelmente a arrecadação dos Estados, a Câmara dos Deputados propôs ao Ministério da Economia que a União compensasse a perda injetando dinheiro nos cofres estaduais toda vez que a queda na arrecadação for superior a 5%. O Estadão mostrou que o impacto na arrecadação dos governos estaduais e municipais chega a R$ 70 bilhões.

— Suspensão de reajustes já aprovados:

Deputados querem suspender os aumentos das tarifas de energia de distribuidoras estaduais aprovados este ano pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e que vigorariam em Ceará, Bahia e Rio Grande do Norte. Na média, os reajustes das distribuidoras, feitos anualmente, têm ficado este ano em torno de 15%, com forte impacto sobre a inflação.

Se aprovado, o projeto pode ter efeito geral e suspender reajustes em outros Estados, passando por cima da decisão do órgão regulador.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Novo comando da Petrobras pode mudar estatuto para segurar preços dos combustíveis
Justiça Eleitoral determina que PT filie atriz pornô
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada