Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024

Home em foco Escritor Sephen King faz duras críticas a Donald Trump: “pessoa horrível”

Compartilhe esta notícia:

O escritor Stephen King, de 74 anos, fez duras críticas ao ex-presidente americano Donald Trump. Em entrevista ao jornal britânico The Times, o autor de clássicos como “Carrie”, “O Iluminado” e “À espera de um milagre” classificou Trump como “presidente horrível e uma pessoa horrível”.

“Senti que ele era um sociopata que tentou derrubar a democracia americana não por qualquer desejo político próprio, mas porque não podia admitir que ele tinha perdido”, afirmou Stephen King.

O escritor fez as declarações em meio às investigações do FBI em torno de uma suposta remoção ilegal de documentos na Casa Branca por parte de Donald Trump. A agência realizou uma busca sem precedentes em sua casa em Mar-a-Lago, em Palm Beach, na Flórida na semana passada.

Stephen King também falou, na mesma entrevista, sobre o panorama político mundial: “Há uma direita forte na América, e eles têm um megafone em alguns meios de comunicação”, disse o autor. “Eles não são fascistas, mas são de extrema direita. Eles certamente negam as mudanças climáticas, então isso é um problema real.”

Salman Rushdie

O universo literário está em estado de choque com o esfaqueamento do escritor Salman Rushdie, atacado em Nova York, momentos antes de iniciar uma palestra. Nas redes sociais, autores consagrados como King e Neil Gaiman reagiram com horror à agressão ao autor, jurado de morte pelo governo do Irã pelo livro “Os Versos Satânicos”, considerado como uma blasfêmia ao Islã.

“Que tipo de idiota apunhala um escritor, afinal?”, questionou King em uma série de tuítes. “Estou chocado e angustiado ao ver que meu amigo Salman Rushdie foi atacado antes da palestra. Ele é um homem bom e brilhante”, escreveu Gaiman.

Ian McEwan, vencedor do Booker Prize, foi além, descrevendo o caso como um ataque à liberdade de expressão e de pensamento. “Salman tem sido um defensor de escritores e jornalistas perseguidos em todo o mundo. Ele é um espírito ardente e generoso, um homem de imenso talento e coragem”, escreveu o autor.

Suzanne Nossel, CEO da PEN America, uma organização em prol da liberdade de expressão na literatura, da qual Rushdie já foi presidente, descreveu o ataque como um ato “brutal e premeditado”.

“Horas antes do ataque, Salman me enviou um e-mail para ajudar no acolhimento de escritores ucranianos que precisam de um refúgio seguro dos graves perigos que enfrentam. Salman Rushdie tem sido alvo de suas palavras por décadas, mas nunca recuou. Ele se dedicou incansavelmente para ajudar outras pessoas vulneráveis ​​e ameaçadas.”, escreveu em comunicado.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Varíola dos macacos: ministro descarta declarar emergência em saúde pública para a doença
“É fundamental ir atrás do dinheiro de Putin”, diz investidor expulso da Rússia
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa