Domingo, 14 de Agosto de 2022

Home Ciência Espaçonave do tamanho de um micro-ondas pode abrir caminho para estação próxima à Lua

Compartilhe esta notícia:

O lançamento da Missão CAPSTONE, da Nasa, foi adiado novamente pela agência espacial. O pequeno cubo deveria ter embarcado em uma viagem rumo à Lua nesta segunda-feira (27), por volta das 7hrs (horário de Brasília), mas a agência espacial norte-americana pediu mais tempo para fazer verificações no foguete da Rocket Lab.

No entanto, para sorte de quem está ansioso, a nova data não vai adiar para muito longe a situação da missão liderada pela empresa Advanced Space. A próxima tentativa de lançamento da CAPSTONE será nesta terça-feira (28), como noticiado pelo Space.

“NASA, Rocket Lab e Advanced Space estão se afastando da tentativa de lançamento de 27 de junho para a missão CAPSTONE à lua para permitir que a Rocket Lab realize verificações finais de sistemas”, disse a Nasa na noite do último dia 26.

Apesar da data provisória para amanhã, a Nasa pode adiar a qualquer momento o lançamento do cubo. Segundo a agência, a missão pode ser adiada para qualquer data antes de 27 de julho e ainda garantir que o cubesat chegará em novembro na lua.

Entenda a missão 

Conforme noticiado pelo Olhar Digital, ainda que não seja diretamente ligada ao Programa Artemis, da Nasa, a missão acabará ajudando a agência nos processos que precedem o momento de levar seres humanos de volta à Lua, o que deve acontecer entre 2025 e 2026.

Com as dimensões próximas às de um forno micro-ondas, a espaçonave CAPSTONE tem por objetivo verificar a estabilidade de uma órbita circular quase retilínea (NRHO) ao redor da Lua, modelando o que a futura pequena estação espacial Gateway precisará seguir com os astronautas a bordo.

A órbita planejada posicionará a CAPSTONE dentro de 1,6 mil quilômetros de um local estratégico da Lua em seu ponto mais próximo, fornecendo acesso ao polo sul. Esse é o principal alvo das missões tripuladas Artemis, dada a provável presença de gelo de água em crateras polares permanentemente sombreadas.

Em sua altitude mais elevada, o CubeSat CAPSTONE oscilará 43 vezes mais alto para 70 mil km. A vantagem de tal órbita – que ainda não foi testada por outras naves espaciais – é que futuras naves espaciais que entram e saem da superfície lunar no polo sul não precisarão voar tão alto para se encontrar com a Gateway.

Como a Lua tem concentrações de massa que podem causar perturbações em suas órbitas, o CAPSTONE acabará funcionando como um teste mais barato, antes do envio da estação Gateway, bem mais cara.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Facebook lucrou 158 milhões de reais com anúncios direcionados para contas falsas
“Eu tenho Parkinson sim, mas o Parkinson não me tem”, disse Renata Capucci sobre diagnóstico
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada