Sexta-feira, 01 de Julho de 2022

Home Tecnologia Facebook lança avatares 3D no Brasil para avançar rumo ao metaverso

Compartilhe esta notícia:

O Facebook lançou nesta segunda-feira (23) no Brasil os avatares 3D, uma nova forma de usuários criarem representações de si mesmos na rede social. O recurso, que havia sido lançado em janeiro na América do Norte, também chega na Argentina, na Colômbia e em Porto Rico.

A atualização é mais um passo da Meta, controladora da rede social, em direção ao metaverso. Nas próximas semanas, também será possível criar um avatar 3D no Instagram e compartilhá-lo no Facebook e no Messenger.

A rede social lançou seus avatares do Facebook em 2D em 2020 para usuários se expressarem em posts no feed, na foto de perfil, nos stories e no Messenger. Com as opções existentes, é possível personalizar estilos de cabelo, tons de pele e roupas do personagem.

Os avatares 3D oferecem um novo visual e mais opções para os usuários. Em janeiro, quando lançou o recurso na América do Norte, o Facebook informou que os personagens virtuais ganhariam a aparência tridimensional de forma automática.

A Meta também anunciou que nos próximos meses o Horizon Worlds, sua plataforma para criação de espaços no metaverso – e ainda disponível apenas nos Estados Unidos –, poderá ser acessada via computador, tablet ou celular. A ideia é permitir o acesso mesmo para quem não tem um dispositivo de realidade virtual.

Parcerias

A Meta, dona do Facebook, anunciou parcerias com organizações de vários países para definir padrões de bem-estar e segurança para o metaverso, espécie de universo digital que tem recebido investimentos da empresa. Entre as dez entidades, há quatro do Brasil.

As empresas brasileiras são ITS Rio (Instituto de Tecnologia de Sociedade do Rio, Brasil): criará grupo de especialistas para identificar oportunidades e desafios do metaverso na América Latina, especialmente no Brasil; IRIS-BH (Instituto de Referência em Internet e Sociedade, Brasil): estudará sobre privacidade e proteção de dados em tecnologias imersivas no contexto das políticas e estruturas de governança existentes.

Completam a lista das brasileiras a Safernet (Brasil): organizará workshops e hackathons para discutir a segurança de mulheres e crianças em experiências de realidade virtual e aumentada; e a IP.Rec (Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia do Recife, Brasil): analisará políticas públicas brasileiras aplicáveis à realidade virtual e aumentada.

Os acordos da Meta com as organizações preveem um investimento total de US$ 50 milhões ao longo de dois anos, que já havia sido anunciado em 2021. Segundo a empresa, o objetivo é fomentar projetos e pesquisas externas que contribuam para uma construção responsável do metaverso.

“O metaverso é um conjunto de espaços virtuais que podem ser criados e explorados por pessoas que não estão num mesmo espaço físico”, explica a Meta. “Neles, é possível estar com amigos, trabalhar, jogar, aprender, comprar, criar e muito mais”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Alzheimer, diabetes e infertilidade: como dormir pouco pode afetar a saúde
Tom Cruise salta de desfiladeiro em trailer de “Missão: impossível 7”
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde