Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024

Home Brasil General que atuou na gestão Dilma será interlocutor entre o Ministério da Defesa e a equipe de transição do novo governo

Compartilhe esta notícia:

O secretário-geral do Ministério da Defesa, general Sergio José Pereira, será o interlocutor da pasta com a equipe de transição do novo governo. Militar da reserva desde 2012, ele tem experiência na área administrativa e de Relações Institucionais. Atuou, por exemplo, na assessoria da Autoridade Pública Olímpica (APO) na realização das Olimpíadas 2016, no Rio de Janeiro.

O general também participou da equipe responsável pela intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro, em 2018. Logo depois, com a chegada de Jair Bolsonaro (PL) ao Palácio do Planalto, foi nomeado secretário-executivo da Casa Civil.

Sérgio Pereira foi calouro do presidente da República, quando militar, na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN). Ambos são da mesma arma: artilharia.

Há praticamente um ano o general responde pela Secretaria-Geral do Ministério da Defesa. Fontes militares disseram que a escolha dele para tratar dos temas relativos à transição foi meramente técnica, uma vez que é responsável pelos assuntos administrativos da pasta.

Transição

O governo de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou para o fim a montagem da equipe que vai trabalhar junto ao Ministério da Defesa e as Forças Armadas. Também resta pendente a definição do núcleo que vai lidar com o Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Lula enfrenta dificuldades de quadros com acesso às atuais cúpulas militares, e com a direção de ambos os ministérios no governo Jair Bolsonaro, numa relação considerada sensível pelos petistas.

O vice-presidente eleito e coordenador-geral da transição, Geraldo Alckmin, um dos nomes em quem se confiava a aproximação com militares, afirmou a interlocutores que a equipe temática da Defesa será anunciada “assim que formada”.
Integrantes da transição afirmam que será preciso “muito tato” na relação com a Defesa. Eles dizem que o setor militar foi preterido da pauta prioritária na formação da equipe, mas vem sendo tratado por um núcleo mais fechado no entorno de Lula.

Nesta sexta-feira (18), o coordenador-geral dos grupos técnicos da transição, Aloizio Mercadante, disse que o anúncio dos integrantes da equipe que ficará responsável pela área da Defesa devem ser anunciados somente depois que o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), retornar de Portugal.

“Vão ter uma bela surpresa. O grupo terá representatividade e estatura”, afirmou Mercadante.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Com PEC da Transição, Lula terá mais controle do Orçamento do que Bolsonaro teve
Equipe de Lula estuda aluguel social e imóvel temporário, sem título de propriedade
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde