Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Home Brasil Governo estuda usar moeda chinesa em transações com a Argentina, diz Lula

Compartilhe esta notícia:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira (22) que o governo estuda a utilização do yuan, moeda oficial da China, para transações com a Argentina.

Segundo o petista, a moeda chinesa pode auxiliar o país vizinho, que passa por uma severa crise financeira.

“O Haddad [ministro da Fazenda] estava conversando com a Argentina, e é possível a gente ajudar a Argentina tendo como moeda do yuan, sabe, aqui da China”, disse Lula.

Ele está em viagem oficial à África do Sul para o encontro do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). A declaração foi dada no programa “Conversa com o Presidente”, realizado pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e transmitido pelas redes sociais.

O presidente voltou a defender a necessidade de se encontrar alternativas ao dólar, a moeda oficial dos Estados Unidos, usada como referência nas operações comerciais entre países. O governo brasileiro discute há meses formas de auxiliar o país vizinho e garantir o pagamento das exportações de empresários brasileiros para a Argentina.

“Tem país como a Argentina que não pode comprar dólar agora, está em uma situação muito difícil porque não tem dólar. Para vender para o Brasil, não deveria precisar de dólar. Vamos trocar nossas moedas, e os Bancos Centrais fazem os acertos no final do mês. Ou Brasil e China, ou Brasil e Índia”, argumentou Lula.

Principal parceiro comercial do Brasil na América do Sul e governada pelo aliado do petista, Alberto Fernández, aliado de Lula, a Argentina convive com inflação alta e tem dificuldades para manter divisas em dólar, o que justifica a busca por uma alternativa nas transações internacionais.

“É preciso que o mundo rico compreenda a necessidade de garantir ao países mais pobres as oportunidades que ainda não tiveram”, afirmou.

O presidente tem defendido a criação de uma moeda sul-americana para servir de base no comércio na região, sem que o Brasil, por exemplo, abandone o Real.

“A gente não pode depender de um único país que tem o dólar, de um único país que bota mais dinheiro para rodar dólar e nós somos obrigados a ficar vivendo da flutuação dessa moeda. Não é correto”, disse Lula.

Em março deste ano, o Banco Central informou que assinou um memorando de entendimentos com Banco Central da China com o intuito de viabilizar um instrumento financeiro que permita as operações comerciais entre os países por meio da moeda chinesa, e convertidas em reais de “forma mais rápida e menos custosa”, sem a necessidade do dólar como intermediário.

A China tem apostado em acordos com países para utilizar o yuan nas transações bilaterais. O governo argentino anunciou, em abril, a adoção do yuan para pagar importações vindas da China.

 

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Secretários estaduais pedem ao MEC que ensino médio só mude em 2025
Exército brasileiro faz ofensiva para tentar melhorar sua imagem e prestígio
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde