Domingo, 21 de Julho de 2024

Home Saúde Ibuprofeno: o que é, para que serve, como tomar e as reações adversas

Compartilhe esta notícia:

O ibuprofeno é um dos medicamentos anti-inflamatórios mais comuns e usados no Brasil. Isso porque, seja na forma de comprimido, em cápsula ou em solução, sua compra não exige receita médica, o que facilita o acesso.

“É importante ressaltar que o Brasil responde por números elevados de automedicação e do consumo inadequado de medicamentos”, alerta o professor Roberto Parise Filho, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. Por isso, ainda que seja um remédio bem tolerado e com boa eficácia, o uso do ibuprofeno deve ser feito sempre sob orientação de um profissional, na quantidade e pelo período adequados.

Indicação

No geral, o ibuprofeno não é um medicamento prescrito para curar doenças, mas, sim, para controlar alguns sintomas. Ele é um anti-inflamatório não esteroide (AINE), o que, na prática, significa que age no controle de três estados: dor, febre e processo inflamatório.

Para isso, ele age inibindo não seletivamente as enzimas cicloxigenases (COX1/2), que são essenciais para a formação de prostaglandinas, justamente as substâncias envolvidas na mediação da dor, da febre e da inflamação. Dessa forma, ao inibir as COX, o ibuprofeno reduz a produção de prostaglandinas e, consequentemente, provoca diminuição dos sintomas.

Segundo Parise Filho, o medicamento é indicado para tratar diversos casos, como: dor de cabeça; dores musculares; cólica menstrual; estado febril; artrite reumatoide e outras condições reumáticas.

Outros medicamentos também exercem a mesma função, como o ácido acetilsalicílico, mais conhecido como aspirina, e o naproxeno. A orientação médica depende da condição a ser tratada e da resposta do indivíduo. “Não há uma comparação direta que possa beneficiar o ibuprofeno em detrimento a outros fármacos”, avisa o especialista.

Como tomar

É recomendado ingerir ibuprofeno com alimentos ou leite, a fim de minimizar os incômodos gastrointestinais que o medicamento pode causar em jejum. Além disso, o consumo de álcool deve ser evitado, pois há o risco de hemorragia no sistema digestivo.

A depender da forma como é administrado, o medicamento começa a agir entre 30 e 60 minutos após a ingestão, com pico de ação, ou seja, efeito máximo, entre uma e duas horas. Enquanto os sintomas persistirem, ele pode ser tomado a cada quatro ou seis horas de intervalo. Segundo Filho, o uso também pode ser intercalado com outros analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios em situações que requerem menor tempo entre doses.

No entanto, o ibuprofeno deve ser usado por até três dias em casos de febre e sete dias para dores, de forma que seu uso prolongado deve ser evitado. Quando utilizado por muito tempo ou em altas doses, o medicamento oferece riscos cardiovasculares e gastrointestinais, como úlceras e hemorragias, além de provocar danos aos rins e ao fígado.

Reações adversas

No geral, o ibuprofeno é um medicamento bem tolerado, mas reações adversas podem aparecer. Entre elas, as mais comuns são os problemas gastrintestinais, como dor abdominal, náusea, indigestão e diarreia.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Brasil se aproxima de 6 milhões de casos de dengue e 4 mil mortes provocadas pela doença
iPhone Slim? Apple prepara smartphone superfino para ser lançado em 2025
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde