Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Home Brasil Influencer presa por estelionato faz acordo para pagar prejuízo de golpe

Compartilhe esta notícia:

A digital influencer Ingrid Caroline Borges Gonçalves fez um acordo com a administradora do apartamento que foi acusada de alugar com cartões clonados. Ela pagou o prejuízo causado pelo golpe aplicado e os responsáveis pela empresa concordaram em retirar a representação criminal contra ela. Com isso, a Justiça determinou, no último dia 7, o arquivamento do inquérito contra Ingrid.

A influencer, que tem 199 mil seguidores no Instagram, foi presa em flagrante no fim do mês passado, por policiais da 14ª DP (Leblon), e autuada por estelionato. Em 2019, uma alteração no Código Penal transformou o estelionato na chamada ação penal pública condicionada à representação da vítima. Isso significa que o autor desse crime só pode ser investigado ou punido se quem for vítima de golpe fizer uma representação deixando claro que possui interesse na responsabilização criminal do autor.

O responsável pela administradora do apartamento alugado por Ingrid tinha representado na delegacia contra ela, mas voltou atrás após o acordo.

Em seu Instagram, Ingrid fez diversas postagens nas quais alegava inocência. Na quinta-feira, a influencer gravou um vídeo informando que seu caso foi arquivado e relatando o acordo feito.

“O meu caso foi arquivado. Não teve denúncia, não teve processo. O meu caso está arquivado”, postou, ainda alegando inocência apesar de ter arcado com os prejuízos do golpe para se livrar da acusação.

Postagem

No dia seguinte à prisão, após pagar a fiança de R$ 1 mil e ser solta, ela voltou às redes sociais. Sem se deixar afetar pelo episódio, ela fez o seu tradicional “bom dia”, com direito a dancinha sensual para saudar os seguidores.

“Em meados de julho de 2021, a influencer foi abordada través da mídia social Instagram pelo IG @grupo.maisx onde, na oportunidade, o interlocutor se apresentou como uma agência de viagens e propôs uma parceria para divulgação da respectiva empresa onde, em troca, a influencer receberia passagens e hospedagens gratuitas e/ou descontos”, diz trecho do documento enviado pelo advogado.

“Com a parceria firmada, a influencer passou a divulgar em suas mídias sociais o @grupo.maisx, que exigiu todos os seus dados pessoais para que assim pudesse disponibilizar as referidas passagens e hospedagens em pagamento ao serviço de divulgação. De forma criminosa, premeditada e ardilosa, o estelionatário ao conquistar a confiança da vítima e estando em posse de todo seus dados pessoais, efetuou a clonagem de um cartão de crédito, que foi utilizado pelo malfeitor de forma on-line e sem o conhecimento da mesma”, explica.

“De forma colaborativa, a vítima apresentou as autoridades inúmeras provas e relatos que demonstram indubitavelmente as tratativas, o acordo de prestação de serviço de divulgação entabulado entre as partes e que forneceu todos seus dados para a respectiva empresa, que lhes utilizou de forma ilícita, efetuando a clonagem do cartão de crédito que passou a ser utilizado sem qualquer autorização/conhecimento”, diz na parte final do documento.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Os três maiores bancos privados brasileiros lucraram 69 bilhões de reais
Golpe no WhatsApp usa site falso de busca de dinheiro “esquecido”
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News