Quinta-feira, 30 de Maio de 2024

Home Colunistas Jair Bolsonaro: “Não acredite em pesquisa. Vamos fazer mais de 70 milhões de votos. Brasileiro não vota em ladrão”

Compartilhe esta notícia:

Otimista com o que tem visto nas ruas de todo o país, o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL), declarou sábado, que espera conquistar, no mínimo, 70 milhões de votos no segundo turno das eleições. Foi durante visita ao Piauí:

— Em 2018, tive 58 milhões de pessoas que acreditaram em mim. Eu tenho certeza que podemos chegar a no mínimo a 70 milhões agora. Cada um de vocês, por vezes, dentro da própria família, junto ao vizinho, com colega de futebol, dá para conquistar esse voto para nós. Não acredite em instituto de pesquisa. Peço a vocês todos compareçam às urnas no dia 30 de outubro. Levem o pai e o avô idoso para votar.”

Ex-relatora da CPI da Exploração Infantil critica omissão de Xuxa na defesa das crianças

Liliam Sá, a deputada que foi relatora da Comissão Parlamentar de Inquérito da Exploração Sexual Infantil, declarou apoio à senadora eleita Damares Alves, que está em meio a uma polêmica nacional, após denunciar o tráfico de crianças na ilha de Marajo, no Pará, e criticou a apresentadora Xuxa que, segundo ela, nada fez pelas crianças desaparecidas. “Damares, parabéns, você está certa de denunciar as atrocidades que fazem com as nossas crianças no Brasil. Eu não tive coragem. Eu ouvi muita coisa que eu não pude falar, pois ficou em sigilo de Justiça”, declarou a ex-relatora.

A ex-relatora da Comissão da Exploração Sexual Infantil fez um desafio a apresentadora Xuxa Meneghel, que divulgou uma campanha em suas redes sociais que pedia a cassação da ex-ministra, antes mesmo da mesma tomar ser empossada no senado. Enquanto se dirigia à apresentadora, Liliam mostrava fotos de meninas desaparecidas:

– Agora quero falar para essa apresentadorinha de TV: onde ela estava quando esta menina sumiu? (…) Onde ela estava que não foi ouvir as mães das crianças desaparecidas no programa dela?. [Xuxa] Não fortaleceu a rede de proteção à criança e ao adolescente, já que ela dizia que era contra a exploração sexual de crianças. Isto tudo é falácia dessa mulher, que sempre enriqueceu e teve fama em cima das nossas crianças. E agora ela não tem mais a Lei Rouanet e quer destruir uma pessoa como a Damares, uma pessoa íntegra, correta, que trabalha com o coração”, acrescentou.

No TSE, o jogo está desigual para Bolsonaro?

São fatos: Duas decisões do TSE mostram que o jogo está desigual para Jair Bolsonaro. O Tribunal passa a ideia – equivocada – de que estaria protegendo e blindando a candidatura de Lula. Veja estas decisões sobre temas similares em representações levadas ao plenário:

– O Tribunal Superior Eleitoral negou um pedido do PL para remover vídeos em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chama o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) de “genocida”, “miliciano” e “fascista”.

– Em outra decisão, o mesmo TSE determinou a suspensão imediata da veiculação de uma peça eleitoral do presidente Jair Bolsonaro (PL) em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é chamado de “ladrão” e “corrupto”.

– Sábado, o TSE proibiu Bolsonaro de dizer que Lula defende o aborto. E censurou vídeo no qual Lula defende o aborto, o que “ofende a honra e a imagem do candidato”, segundo a ministra Carmen Lúcia.

Agora, são cinco pedágios entre Santa Maria e Porto Alegre

Desde a meia-noite deste domingo, o trajeto entre Santa Maria e Porto Alegre conta com a cobrança de pedágio em cinco praças, com a inauguração das três novas praças da rodovia RSC-287, localizadas em Taquari, Paraíso do Sul e Santa Maria. A concessão é do governo do estado, e a cobrança foi iniciada, mesmo que não tenha ocorrido nenhuma obra para duplicação do trecho, já que não há previsão contratual desse compromisso da nova concessionária. Ontem, a concessionária Rota de Santa Maria enfrentou problemas de congestionamento nas praças de pedágio devido à falta de guichês para atender a demanda, e precisou liberar as cancelas.

De gravata verde-amarela, Lula foge do debate sobre corrupção

“Você só está solto por causa do amigo Fachin”, afirmou ontem o presidente Jair Bolsonaro ao responder a pergunta de jornalistas sobre o compromisso de indicar ministros para o STF com base em currículo. Bolsonaro lembrou que antes de ser ministro do STF, Edson Fachin, responsável pela primeira decisão que mudou o foro dos processos nos quais Lula foi condenado, era ferrenho cabo eleitoral de Lula. Mas, o que chamou a atenção do debate promovido ontem pela Band foi o malabarismo de Lula para escapar de questões como o Petrolão, a Lava Jato e a corrupção que atrasou a transposição do Rio São Francisco, concluída por Jair Bolsonaro. O presidente aproveitou para criticar os “amigos de Lula: Daniel Ortega, que fecha a imprensa e expulsa padres e freiras, Petro na Colombia, que defende a descriminalização da cocaína, Maduro na Venezuela e os traficantes da comunidade no Rio”.

Lula admite corrupção na Petrobrás

No debate de ontem, Lula, escorregadio, admitiu que houve corrupção na Petrobrás, mas disse que “foi os empresários que roubaram” e criticou a ação da Lava Jato, afirmando que “não precisava fechar empresas, acabar com empregos”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Interesse de bancos em pesquisas segue misterioso
RS é o terceiro estado que mais recebeu venezuelanos que fogem miséria causada pela ditadura de Maduro
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde