Sábado, 18 de Maio de 2024

Home em foco Jejum intermitente não é melhor estratégia para perder peso; segredo está na restrição de calorias

Compartilhe esta notícia:

As calorias ingeridas ao longo do dia provocam mais impacto na perda de peso do que o horário das refeições. É o que aponta um estudo publicado na revista “Annals of Internal Medicine”. Segundo os pesquisadores, para a perda de peso não importa se a pessoa se alimenta mais no início do dia ou à noite, mas o quanto ela come.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores da Universidade Johns Hopkins conduziram um ensaio clínico com 41 adultos com obesidade e pré-diabetes, separados em dois grupos: jejum intermitente (com restrição de horário) e padrão habitual de alimentação.

No jejum intermitente, quando a pessoa limita sua alimentação a uma janela de tempo durante o dia e nas horas restante fica sem comer , os participantes podiam comer entre 8h e 18h (10 horas) e 80% das calorias deveriam ser consumidas antes das 13h.

Já no “padrão alimentar habitual”, os participantes podiam comer das 8h até meia-noite e 50% das calorias deveriam ser consumidas após 17h.

Mesmas calorias

Os participantes consumiram o mesmo número de calorias diariamente durante todo o estudo, com duração de doze semanas. Eles receberam refeições preparadas com composições idênticas de macronutrientes e micronutrientes, e foram instruídos a consumir toda a comida.

Ao final, ambos os grupos perderam a mesma quantidade de peso e não houve diferenças reais na glicemia de jejum, circunferência da cintura, pressão arterial ou níveis lipídicos.

Apesar de não ocorrer uma diferença significativa entre os dois métodos, os autores lembram que o jejum intermitente pode ser uma boa estratégia para o tratamento de pacientes com obesidade que não contam calorias, já que o jejum acaba restringindo a alimentação.

Melhores dietas

Todos os anos, um grupo de mais de 40 especialistas em saúde e dieta do “US News and World Report” classifica as 16 melhores dietas para emagrecer durante o ano. A edição de 2024 foi publicada em 1º de janeiro. “Nosso painel, que inclui nutricionistas e médicos especializados em diabetes, saúde cardíaca e perda de peso, revisou cada dieta para uma perda de peso segura e eficaz”, destaca a equipe de pesquisa.

O ranking com as dietas ideais para a perda de peso foi publicado no site da instituição. Segundo o artigo, os planos alimentares facilitam o emagrecimento e, ao seguir um dos cardápios, o indivíduo pode perder de 400 a 900 gramas por semana.

Vigilantes

No topo da lista está a dieta do Vigilantes do Peso. Apesar do nome, o plano alimentar não envolve a contagem de calorias. A ideia, na verdade, é reduzir o peso por meio da mudança comportamental, que acontece por um sistema de acúmulo de pontos, onde cada alimento tem um valor.

Para realizar a rotina alimentar é preciso instalar o aplicativo oficial. Uma vez fornecidos os dados como idade, peso e altura, a plataforma estabelece o sistema de pontos e estipula o valor de cada alimento. O objetivo é permanecer dentro do limite de pontos diários e semanais.

“O Vigilantes do Peso ajuda as pessoas a compreender o equilíbrio de tal forma que nenhum alimento está fora dos limites, ajudando a dieta a ser sustentável no longo prazo. Ele se concentra em alimentos saudáveis, como frutas, vegetais e proteínas magras”, aponta o grupo do US News and World Report.

Dieta mediterrânea

Em segundo lugar está a tradicional dieta mediterrânea. Aqui, a ideia é substituir alimentos industrializados, altamente processados e congelados, por ingredientes frescos, naturais e saudáveis. Ela tem poucas regras e receitas simples: a maior parte de cada refeição é concentrada em frutas e vegetais, grãos inteiros, feijão e sementes, com algumas nozes e grande consumo de azeite de oliva extravirgem.

Dieta volumétrica

Em seguida, ocupando a terceira posição, vem a dieta volumétrica, que é menos restritiva que as demais. O plano alimentar inclui maiores quantidades de alimentos saudáveis e de baixa caloria. As opções são divididas em quatro categorias para atingir a meta de calorias do dia, que varia para cada paciente.

A nutricionista Talyta Machado explica que a dieta volumétrica trabalha a questão do comportamento alimentar da pessoa que sente necessidade de mastigar muito, e é uma proposta interessante para que o indivíduo se sinta mais saciado. Segundo a nutricionista, essa é uma boa dieta para associar com outras opções. As informações são do G1 e do Metrópoles

 

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Bienal de Veneza sob o signo da guerra no Oriente Médio dirigida por um brasileiro
Rayssa Leal é campeã da etapa de San Diego de skate
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News