Terça-feira, 25 de Junho de 2024

Home Política João Doria terá de lidar com dor de cabeça no PSDB, pelo clima de desânimo entre os que preferiam Eduardo Leite como presidenciável

Compartilhe esta notícia:

O governador de São Paulo, João Doria, terá de lidar com dor de cabeça no PSDB, pelo clima de desânimo entre os que preferiam Eduardo Leite como presidenciável. Na última segunda-feira (28), aliás, o gaúcho renunciou ao governo do Rio Grande do Sul e anunciou que fica na sigla.

“Vamos construir juntos, no Brasil, a mudança geracional que está acontecendo na política ao redor do mundo. Uma nova visão e uma nova agenda, com foco na construção das soluções e não na destruição de adversários”, escreveu Leite no Twitter nesta terça (29).

Vacinas

Nos bastidores da pré-campanha presidencial de Doria, interlocutores do governador paulista avaliam, com base em pesquisas, que não haverá mudança no cenário eleitoral até julho e, por isso, é preciso segurar a pressão até lá, seja ela interna ou externa.

Enquanto isso, a aposta é focar a campanha do tucano, que deixa o governo de São Paulo nesta semana, na produção da Coronavac, com o mote de que “a vida voltou ao normal depois da vacina”. Começou a circular no início desta semana, entre aliados, um vídeo com uma amostra do que deve ser a campanha que terá a Coronavac como a estrela principal. Doria assistiu às imagens pela primeira vez durante uma reunião com seus secretários e se emocionou.

Doria também está com uma extensa agenda de viagens e começa o tour pela Bahia, onde deve passar por Salvador e também por Rio de Contas, onde nasceu seu pai, João Agripino Doria Neto. Uma das ideias é mostrar sua trajetória de vida e que ele “não nasceu de terno”.

PSDB

Focado na disputa pelo Governo da Bahia, onde lidera as pesquisas, ACM Neto, do União Brasil, avalia que Eduardo Leite acertou ao decidir ficar no PSDB para participar do debate presidencial deste ano. O tucano perdeu as prévias para João Doria, mas tem dito que irá se envolver nas discussões sobre o projeto do partido ao Planalto.

Neto disse que a decisão do gaúcho, de sacrificar o final de mandato no Palácio Piratini para atuar no partido, mostra a postura de “um homem público íntegro e coerente”. Leite, segundo o baiano, será “peça importante na construção de um projeto para o futuro do Brasil”.

“Considero extremamente acertada a decisão do governador Eduardo Leite de permanecer no PSDB. Mais uma vez, Eduardo mostra que é um homem público íntegro e coerente. Eduardo terá papel relevante na discussão das eleições de 2022. Com o seu perfil agregador e capacidade de diálogo, ele se posiciona como peça importante na construção de um projeto para o futuro do Brasil”, diz Neto.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Privatização da Petrobras não está prevista neste mandato, diz ministro Paulo Guedes
Governo impõe ritmo recorde em trocas no Ministério da Educação
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News