Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024

Home Artes Visuais Justiça da Califórnia condena ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein por estupro e agressão sexual

Compartilhe esta notícia:

O ex-produtor de cinema Harvey Weinstein foi considerado culpado de estupro em um julgamento em Los Angeles. Essa é a segunda condenação do ex-Hollywood que se tornou o rosto das acusações de abuso sexual #MeToo cinco anos atrás.

O júri considerou Weinstein culpado de estupro, cópula oral forçada e penetração sexual por objeto estranho, envolvendo uma mulher, mas o absolveu das acusações relativas a uma segunda suposta vítima.

O júri não conseguiu chegar a um veredicto sobre duas acusações, incluindo estupro, de Jennifer Siebel Newsom, esposa do governador democrata da Califórnia, Gavin Newsom, conhecida como Jane Doe 4 no julgamento.

O júri também não chegou a um veredicto sobre as acusações relacionadas a outra mulher.

Weinstein, de 70 anos, já está cumprindo uma sentença de 23 anos de prisão após ser condenado por má conduta sexual em Nova York.

Em Los Angeles, Weinstein enfrentou sete acusações de estupro e agressão sexual de quatro mulheres por encontros entre 2004 e 2013.

Durante cinco semanas de depoimentos no Tribunal Superior de Los Angeles, os acusadores, incluindo a documentarista Siebel Newsom, disseram que Weinstein os atraiu para o que elas acreditavam ser reuniões de negócios.

A juíza do Tribunal Superior, Lisa Lench, declarou a anulação do julgamento nas acusações em que o júri não conseguiu chegar a um veredicto, incluindo as alegações feitas por Newsom.

As mulheres alegaram durante depoimentos muitas vezes explícitos que o poderoso produtor de “Pulp Fiction” e “Shakespeare Apaixonado” se masturbou na frente delas e as apalpou ou estuprou.

Siebel Newsom e três outras mulheres prestaram depoimentos que forneceram a base para as duas acusações de estupro e cinco acusações de agressão sexual enfrentadas por Weinstein.

Outras quatro mulheres ofereceram histórias semelhantes para reforçar os argumentos da promotoria de que Weinstein abusava rotineiramente de sua posição como uma peça poderosa de Hollywood para atacar mulheres.

Eles disseram que ele prometeu ajuda para garantir uma audição ou um contrato e, em seguida, organizou reuniões em que a equipe desapareceu e as deixou sozinhas com ele.

Weinstein disse que todos os seus encontros sexuais foram consensuais e se declarou inocente.

Os advogados de defesa argumentaram que as mulheres fizeram sexo de bom grado com Weinstein porque acreditavam que ele ajudaria suas carreiras, parte do que eles disseram ser uma cultura generalizada de “casting couch” na indústria cinematográfica.

Em dois dos casos, eles disseram que o contato sexual foi forjado.

Eles também destacaram que algumas das acusadoras, incluindo Siebel Newsom, mantiveram contato com Weinstein, o que eles argumentaram não fazer sentido se ele as tivesse atacado.

Siebel Newsom compareceu a uma festa pré-Oscar organizada por Weinstein com o marido e enviou dezenas de e-mails amigáveis ​​a Weinstein ao longo dos anos.

O produtor foi condenado por má conduta sexual em Nova York em fevereiro de 2020. No ano seguinte, ele foi extradido para uma prisão em Los Angeles.

Em Nova York, Weinstein está apelando sua condenação e sentença de prisão.

As alegações contra Weinstein ajudaram a alimentar o movimento #MeToo de mulheres que se manifestaram contra o assédio e o abuso sexual por parte de homens poderosos na mídia, na política e em outras indústrias.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Artes Visuais

Novo ataque a Meghan Markle na imprensa britânica inspira repúdio geral no Reino Unido
Veja os melhores livros de 2022 para dar de presente de Natal
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa