Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Home em foco Lewis Hamilton quebra o silêncio sobre derrota para Verstappen: “Nunca disse que deixaria a Fórmula 1”

Compartilhe esta notícia:

Lewis Hamilton falou publicamente pela primeira vez desde a derrota para Max Verstappen em Abu Dhabi, em dezembro, quando perdeu o campeonato de 2021 da Fórmula 1 para o piloto da Red Bull. Nesta sexta-feira (18), durante evento da Mercedes para apresentar o novo carro da equipe, o W13, o heptacampeão de 37 anos afastou rumores de que colocaria um fim à carreira na categoria.

“Eu nunca disse que deixaria a F1. Adoro fazer o que faço e é um privilégio trabalhar com esse grande grupo de pessoas. Eu me sinto como parte de uma família. Não há nada como isso”, disse o piloto.

Hamilton ficou longe até das redes sociais e só voltou a fazer publicações no Instagram este mês. No último dia 5, compartilhou uma foto com a legenda “Eu fui. Agora estou de volta!’”. Por conta do afastamento, companheiros de equipe e ex-pilotos especularam que ele poderia se aposentar do esporte. Na época, fãs da categoria comemoraram o retorno do inglês às redes em comentários na postagem.

Na entrevista desta sexta, o piloto admitiu ter ficado abalado após a derrota em 2021. Ele disse que buscou apoio na família e agora se sente preparado para encarar a temporada deste ano, que começa no dia 20 de março, com o GP de Sakhir, no Bahrein.

“Foi um momento difícil para mim e um momento em que precisei dar um passo para trás e me concentrar no presente. Eu tive minha família ao meu redor e criei ótimas lembranças nesse período, mas acabei chegando a um ponto em que decidi que atacaria novamente, começando outra temporada e trabalhando com Toto (Wolff) e George (Russel)”, ressaltou, ao lado do chefe da Mercedes e do colega de equipe.

Hamilton está na escuderia desde 2013 e tem contrato até 2023. Mais cedo, Toto Wolff afirmou à “BBC” que nunca se preocupou com a saída do piloto.

“Não, eu nunca fiquei preocupado, embora você tenha que respeitar, o piloto fica abalado após um evento como esse. Mas temos uma equipe forte e grande apoio, então eu sabia que ele voltaria”, disse, acrescentando: “Todos nós ficamos abalados porque o cronômetro nunca mente. Lewis era claramente o melhor cara na pista em Abu Dhabi, dominando a corrida, e então é tirado por um único indivíduo, contra todas as regras. Digerir isso é muito difícil. Houve um choque inicial. Nunca vimos nada assim. Então ele teve que se afastar, pensar em outra coisa.”

Ultrapassado na última volta

Hamilton teve o oitavo título mundial nas mãos até a última volta do Grande Prêmio dos Emirados Árabes, mas viu a entrada do safety car mudar o panorama da prova. Curiosamente, ele perdeu em condições parecidas com as quais ganhou o primeiro campeonato. Em 2008, conseguiu a posição que precisava na última volta em Interlagos, derrubando Felipe Massa.

O resultado da corrida foi bastante polêmico. Na época, o diretor de provas da Fórmula 1, Michael Masi, autorizou que apenas os cinco carros retardatários que estavam entre os dois pilotos ultrapasassem na saída do safety car da pista. De acordo com o regulamento, a autorização deveria ter sido dada para todos ou nenhum dos carros. Masi foi demitido do cargo nesta semana.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Câmara dos Deputados aprova projeto que restringe buscas em escritórios de advocacia
Média móvel de mortes por covid no Brasil está há 11 dias acima de 800
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde