Quinta-feira, 30 de Maio de 2024

Home Cultura Livro “1984” de George Orwell, lidera lista dos mais vendidos na Rússia

Compartilhe esta notícia:

O romance distópico “1984”, de George Orwell, ambientado em um futuro imaginado em que governantes totalitários privam seus cidadãos de todo livre arbítrio para manter o apoio a guerras sem sentido, chegou à liderança das listas eletrônicas de livros mais vendidos na Rússia.

O romance é o download de ficção mais popular de 2022 na plataforma da livraria online russa LitRes, e o segundo download mais popular em qualquer categoria, informou a agência de notícias estatal Tass.

O romance do autor inglês foi publicado em 1949, quando o nazismo acabava de ser derrotado e a Guerra Fria do Ocidente com seu antigo aliado Josef Stalin e o bloco comunista soviético que ele agora liderava estava apenas começando. O livro foi proibido na União Soviética até 1988.

Orwell disse que usou a ditadura de Stalin como modelo para o culto à personalidade do Big Brother que tudo vê, cuja “polícia do pensamento” força os cidadãos a se envolverem em “duplipensar” para acreditar que “Guerra é paz, liberdade é escravidão”.

Mas alguns veem ecos contemporâneos no governo do presidente russo, Vladimir Putin, que tem erradicado a oposição política e a mídia crítica da esfera pública em suas duas décadas no poder, além de reabilitar a memória de Stalin.

A invasão russa da Ucrânia em fevereiro levou a novas leis que tornam crime publicar qualquer informação sobre a guerra que esteja em desacordo com as declarações oficiais. O Kremlin evita a própria palavra “guerra”, referindo-se, em vez disso, como “operação militar especial”.

Energia

O presidente Vladimir Putin disse que a Rússia expandirá a cooperação comercial com novos parceiros, inclusive transferindo fluxos de gás para vizinhos do leste, a fim de combater as sanções ocidentais.

Putin afirmou em um discurso televisionado que a Rússia desenvolverá suas relações econômicas com parceiros na Ásia, África e América Latina para frustrar os esforços ocidentais de isolá-la economicamente.

“Vamos remover as restrições de logística e finanças. Deixe-me lembrá-los de que, ao introduzir sanções, os países ocidentais estavam tentando empurrar a Rússia para a periferia do desenvolvimento mundial. Mas nunca seguiremos o caminho do autoisolamento”, disse ele.

“Pelo contrário, estamos ampliando e ampliaremos a cooperação com todos os que têm interesse nisso.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cultura

Campanha sobre o câncer de pele chama atenção para os sinais de alerta
Bruce Willis modificou divisão de herança no testamento após diagnóstico de afasia
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde