Domingo, 29 de Maio de 2022

Home em foco Nova pílula contra covid é eficaz contra a variante ômicron em teste de laboratório

Compartilhe esta notícia:

A nova pílula contra a covid-19 da Pfizer, Paxlovid, foi eficaz contra a variante ômicron do coronavírus em testes de laboratório, um sinal inicial encorajador de que o medicamento poderá ser importante enquanto a cepa se espalha. Em comunicado, a empresa anunciou nesta terça-feira (18), que o principal componente do medicamento, o nirmatrelvir, funcionou em três estudos laboratoriais separados.

O medicamento reduziu o risco de hospitalização ou morte em quase 90% em comparação com placebo para pacientes de alto risco quando tratados dentro de cinco dias do início dos sintomas, disse Mikael Dolsten, Diretor Científico da Pfizer.

Os dados sugerem que a terapia oral “pode ser uma ferramenta importante e eficaz em nossa batalha contínua contra esse vírus devastador e as variantes atuais de preocupação, incluindo a ômicron altamente transmissível. Continuaremos monitorando a atividade do tratamento em ambientes do mundo real e acreditamos que essas descobertas in vitro continuarão sendo validadas”, afirmou Dolsten.

No primeiro dos estudos em laboratório, o nirmatrelvir foi testado contra a Mpro – uma enzima que o coronavírus precisa replicar – em várias variantes de preocupação, incluindo a ômicron, em um ensaio bioquímico. “Os resultados mostraram em todos os casos que o nirmatrelvir foi um potente inibidor do seu alvo”, afirma o comunicado.

O Paxlovid está atualmente autorizado para uso condicional ou emergencial em vários países do mundo, e a Pfizer submeteu pedidos de aprovação ou autorização regulatória a várias agências e antecipa outras decisões regulatórias a seguir, diz o comunicado.

A empresa lembra que continua a investir para apoiar a fabricação e distribuição do medicamento, incluindo a exploração de opções de fabricação por contrato, e elevou suas projeções de produção de 80 milhões para 120 milhões de cursos de tratamento até o final de 2022.

Aprovação

O Canadá aprovou o uso da pílula antiviral da Pfizer para o tratamento de casos leves a moderados de adultos com covid-19.

O medicamento oral tem 89% de eficácia na prevenção de hospitalizações e mortes em pacientes de alto risco para a infecção do novo coronavírus, segundo um estudo clínico realizado pela farmacêutica, com 2.246 voluntários.

Ele deve ser tomado por cinco dias, logo após os primeiros sintomas da doença a fim de bloquear a replicação do vírus Sars-CoV-2 – causador da covid – e impedir que os pacientes evoluam para quadros graves.

“[Esta aprovação] é particularmente importante, pois o acesso a tratamentos fáceis de usar pode ajudar a reduzir a gravidade da covid-19 em adultos que se infectam recentemente”, disse a chefe de saúde pública do país, Theresa Tam, à imprensa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Conselho Administrativo de Defesa Econômica abre inquérito para investigar a Petrobras por causa da alta no preço dos combustíveis
Tosse, dor no corpo, mas não testou positivo para covid? Saiba por quanto tempo cumprir quarentena
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada