Terça-feira, 09 de Agosto de 2022

Home Cláudio Humberto Pesquisa: 75% do Brasil é contra cotas raciais

Compartilhe esta notícia:

Levantamento realizado pelo instituto Orbi com exclusividade para o site Diário do Poder revela que mais de 75% dos brasileiros são contrários à política de cotas raciais em concursos públicos, vestibulares etc. No total, 15,4% se dizem contra qualquer tipo de cota e outros 59,4% são especificamente contra as cotas raciais, mas a favor de cotas sociais, “pois somos um país miscigenado” e devemos “ter cotas e dar preferência para os mais pobres, independentemente da cor.”

Minoria a favor
Apenas 25,2% dos entrevistados são totalmente favoráveis às políticas de cotas raciais como “reparação histórica perante a escravatura”.

Outra geração
Jovens abaixo dos 18 anos representam a maior parcela de brasileiros contra cotas raciais, mas favoráveis às cotas sociais: 61,1%.

No mérito
O Centro-Oeste é a região que mais rejeita as cotas raciais: apenas 18,6% dos habitantes são totalmente favoráveis.

Dados técnicos
O instituto de pesquisa Orbi realizou 2.154 entrevistas entre 3 e 4 de março de 2022, em todas as regiões do País.

Brasil imunizou mais que a pequena Nova Zelândia
O Brasil já deixou Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido para trás, na imunização da população contra a covid. Quase 83,4% dos 213 milhões de brasileiros já receberam ao menos uma dose de vacina. Ontem, o Brasil bateu a Nova Zelândia, muito elogiada pela forma de como lidou com a pandemia. Com população um pouco acima dos 5 milhões de habitantes, menos que a cidade do Rio de Janeiro e 44,6 vezes menor que o Brasil, a ilha imunizou exatamente 83,33%.

Próximos
No ritmo atual da vacinação, o Brasil deve superar a Itália (83,9%) e o Canadá (85,6%) nos próximos dias, aponta o Our World in Data.

Além da conta
Dados do Ministério da Saúde mostram que o Brasil já aplicou mais de 57 milhões de doses de reforço. Equivalentes Novas Zelândias.

Resultado impressiona
De acordo com a ferramenta de acompanhamento vacinabrasil.org, 178,2 milhões de brasileiros receberam ao menos uma dose de vacina.

Sem esperanças
É a primeira vez que o governo Bolsonaro age contra a criminosa política de lucros Petrobras, mas mudanças são improváveis. Livre para fixar os próprios preços, em 2021 a estatal explorou o brasileiro sem piedade, faturando lucro superior a R$ 106 bilhões, 1.400% a mais que 2020.

Reverência
O governador João Doria visitou Alessandro Vieira (SE), ontem, em Brasília, prestando-lhe reverência. O senador andava amuado desde quando o Cidadania preferiu a federação com o PSDB à sua candidatura.

Papelão da ONU
A ONU segue pagando mico. Ausente da mediação de paz na Ucrânia após virar linha auxiliar de Joe Biden, o secretário-geral António Gutérres resolveu meter medo nos russos chamando a guerra de… guerra.

Aposta no conflito
A Rússia tenta ignorar sanções, aumentando os bombardeiros, enquanto Estados Unidos e Europa instigam ucranianos no melhor estilo “vai que é tua”, enquanto vende para eles US$ 600 milhões (R$ 3 bilhões) em armas.

Candidato andarilho
Ainda faltam cerca de três semanas para pré-candidatos alterarem seus domicílios eleitorais, de olho na eleição de outubro. O limite é 2 de abril, apenas seis meses antes da eleição.

Consequência da guerra
O preço do níquel explodiu na terça (8), excedendo US$ 100 mil por tonelada (o recorde era de US$ 50 mil, após a crise de 2008) e forçou a bolsa de Londres a interromper as negociações do metal.

Conversão comprova
O preço médio da gasolina nos EUA bateu recorde histórico, ontem (8). São US$ 4,17 (R$ 21,1) por galão. O litro da gasolina custaria R$ 5,57. A gasolina mais cara da História por lá ainda é mais barata que a brasileira.

Informação, finalmente
Estudo científico da Universidade de Edimburgo (Escócia) identificou 16 genes que provocam a predisposição de humanos a efeitos graves da Covid-19. É o maior estudo genético do mundo realizado sobre o vírus.

Pensando bem…
… o “mercado” sempre está em guerra.

PODER SEM PUDOR

Pronomes trocados
Benedito Valadares era governador de Minas quando foi a uma exposição agropecuária em Curvelo. No discurso de abertura, jurou: “Determinei à Caixa Econômica e aos bancos do Estado a concessão de empréstimos agrícolas a prazos curtos e juros longos”. Um assessor corrigiu, em voz alta: “É o contrário, governador”. E ele respondeu: “Desde que o dinheiro venha, os pronomes não têm importância.”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Landim “seduziu” Bolsonaro como encantou Dilma
PGR foi alvo de ataque criminoso de hacker
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa