Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Home Flávio Pereira Presidente da Câmara, Arthur Lira alerta Petrobras: último reajuste dos combustíveis “foi um tapa na cara dos brasileiros”

Compartilhe esta notícia:

O Brasil criou um monstro que trabalha contra os interesses do povo brasileiro. A Petrobras teve o maior lucro líquido entre as maiores petroleiras mundiais no primeiro semestre de 2022, chegando a US$ 9,405 bilhões nos primeiros meses deste ano, quase o dobro do valor alcançado pela americana Exxon Mobil, considerada a maior petroleira do mundo, que chegou a US$ 5,480 bilhões. Dentro da bolha em que vivem, completamente desconectados com o Brasil, os executivos da Petrobras, com salários que chegam próximo dos R$ 400 mil (mensais) poderão ceder às pressões dos acionistas e também à pressão da oposição para anunciar novo e injustificado reajuste nos preços da gasolina, do diesel e gás de cozinha. A medida teria caráter político para desgastar o governo, ao provocar novo aumento da inflação de diversos produtos, vinculados diretamente ao diesel e à gasolina. O presidente Jair Bolsonaro fez ontem um alerta, lembrando que não seria oportuno a Petrobras aplicar um aumento injustificado, exatamente no momento em que o Congresso Nacional, de forma solidária, aprovou medidas para reduzir a carga tributária sobre os combustíveis.

Petrobras: um tapa na cara dos brasileiros

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, já alertou à Petrobras, criticando a “insensibilidade” da empresa. Segundo ele, o último reajuste “foi um tapa na cara de um país que luta para voltar a crescer”. Lira considera a Petrobras “uma República independente dentro do Brasil, e em declarado estado de guerra contra os brasileiros”. Ele lembra que “até os governos mais ortodoxos estão avaliando como mitigar os impactos da pressão nos custos em todos os mercados”, como é o caso dos Estados Unidos, onde o presidente Joe Biden convocou as petroleiras para uma reunião dia 23 para discutir os efeitos do aumento no preço dos combustíveis no custo de vida dos cidadãos. Arthur Lira convocou reunião de líderes na Câmara na próxima segunda-feira, para tratar exclusivamente da política de preços da Petrobras, que ele considera “amiga dos lucros bilionários e inimiga do Brasil”.

Mundo mágico das Petrobras: salários de R$ 260 mil mais prêmios

Diretores da Petrobras vivem num mundo mágico: a empresa reservou R$ 14,17 milhões, no total, para salários dos diretores, referente ao período entre abril de 2022 a março de 2023. A estatal também provisionou mais R$ 13,09 milhões em bônus, atrelados ao atingimento de metas. O presidente da Petrobras recebe um salário estimado em R$ 260 mil por mês,mais bônus dos prêmios por metas nos lucros. Daí o desespero da diretoria em aumentar os lucros, o que aumenta o prêmio de cada diretor.

Prefeito resiste à pressão da esquerda e veta linguagem neutra

O prefeito de Porto Alegre Sebastião Melo (MDB) resistiu à pressão da esquerda e de setores da imprensa completamente sem noção e sancionou o projeto que veta o uso dessa bobagem chamada linguagem neutra nas escolas e em documentos oficiais do município.

Tal como na fábula “A roupa nova do rei”, de autoria do dinamarquês Hans Christian Andersen, onde as pessoas temendo parecer ignorantes afirmavam que o rei estava maravilhosamente vestido, quando na verdade estava nu, o caso se repete na linguagem neutra. Temendo parecer incultos, jornalistas, militantes da esquerda e até o ministro do STF Luiz Fachin (o que não representa surpresa, dado seu conhecido viés ideológico), fazem reverências à ridícula linguagem neutra. Melo confirmou à coluna que assinou a sanção, que será publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial. O projeto aprovado pela Câmara no dia 4 de maio tem autoria conjunta dos vereadores Alexandre Bobadra (PL), Fernanda Barth (PSC), Hamilton Sossmeier (PTB), Jessé Sangalli (Cidadania), Nádia Gerhard (PP), Ramiro Rosário (PSDB) e Tanise Sabino (PTB). A linguagem neutra, essa bobagem inventada pela esquerda, desrespeita o padrão culto da língua, conforme preconizado na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e no Referencial Curricular Gaúcho (RCG), e se presta apenas como ferramenta de idiotização dos cidadãos.

Any Ortiz discorda do parecer da PGE que autorizou pensão a Eduardo Leite

Esta coluna registrou o silêncio da deputada Any Ortiz sobre a concessão da pensão de ex-governador a Eduardo Leite. Até o fechamento da coluna de ontem, a deputada ainda não havia se manifestado. Any Ortiz (Cidadania) se manifestou no final da noite de quarta-feira sobre a pensão concedida ao ex-governador Eduardo Leite, em desacordo com a lei aprovada pelo legislativo. A deputada, autora da lei, discorda do parecer da Procuradoria-Geral do Estado que, interpretando a lei, entendeu que a pensão de ex-governador pode ser concedida a Eduardo Leite:

“A sociedade gaúcha se mobilizou hoje para se posicionar mais uma vez contrariamente à aposentadoria dos ex-governadores. Uma bandeira que faz parte da minha trajetória e que muito me orgulha. Enfrentamos todo tipo de resistência dentro da Assembleia Legislativa para encerrar o pagamento vitalício aos ex-governadores e beneficiários. Foi um grande avanço, e, desde aquela data, os futuros ex-governadores não receberiam mais de forma vitalícia. Posteriormente o entendimento da Assembleia avançou, e aprovamos a revogação total da lei e extinguimos a pensão. A Procuradoria-Geral do Estado tem um entendimento jurídico do qual discordo, pois não há direito adquirido nesse caso. É importante reafirmar que sou contra esse pagamento para qualquer ex-governador e essa tem sido uma luta constante!”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Eduardo Leite, 37 anos, obtém pensão especial de ex-governador
Justiça determina prazo de 48 horas para Eduardo Leite explicar pensão de ex-governador
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa