Domingo, 21 de Abril de 2024

Home Cláudio Humberto Rigor do TSE contra celular é maior que no presídio

Compartilhe esta notícia:

Na realidade paralela do Brasil, a proibição do porte do celular na hora de votar, ordenada pelo Tribunal Superior Eleitoral, deve ser cumprida com mais rigor que a proibição de celulares dos bandidos nos presídios. A ameaça é de “prisão” do eleitor que descumprir a resolução do TSE, apesar de não ser crime ter um celular. Já contrabandear celulares para um presídio é crime previsto no Código Penal. Mas o Supremo ainda discute se celulares em presídios são protegidos por “sigilo dos presos”.

Pedala, ministro

O ministro Dias Toffoli é o relator do Agravo em Recurso Extraordinário (ARE) 1042075 que decidirá sobre o sigilo de celulares nos presídios.

Anote e compare

Só a operação Modo Avião, do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, apreendeu 6 mil celulares em 2021.

Para comparar

A operação do Depen no ano passado foi realizada apenas em 53 presídios, e conseguiu apreender, em média, 15 celulares por dia.

Recorrente

Apreensões de celulares em presídios estaduais e municipais têm batido recordes em 2022. Só em São Paulo, são mais de dez mil por ano.

Agregado mostra Bolsonaro virando no Sudeste

Região que representa 42,6% do eleitorado brasileiro, o Sudeste segue recebendo atenção especial dos candidatos a presidente da República e Jair Bolsonaro (PL) é quem tem mais a comemorar com resultados dessa semana, que levaram à virada, no agregado representado pela média da 12ª semana de análises das pesquisas pela Potencial Inteligência (Apiv). Lula caiu de 40,2% a 36,8% e viu o presidente subir de 32,9% a 38,2%.

Déjà vu

O cenário parece caminhar para um repeteco no Norte. Lula lidera, mas caiu de 43,1% para 41,3% e Bolsonaro subiu de 34,5% para 39,3%.

Cenário consolidado

As demais regiões parecem definidas. Lula tem vantagem de 34,2% no Nordeste. Bolsonaro tem 17,4% a mais no Sul e 24,9% no Centro-Oeste.

Abrangência

A Apiv analisa, semanalmente, mais de 37 mil entrevistas realizadas em mais de 1.000 municípios de todas as unidades da federação.

Preço alto

Ministros do STF, sobretudo os “ideológicos”, pagam preço elevado por suas decisões que afetam prerrogativas dos outros poderes. Hoje, saem às ruas cercado de seguranças, causando impressão ainda mais negativa.

Reduto pode cair

Candidato do União Brasil ao governo do Piauí, Silvio Mendes tem 44,3% das intenções de votos totais e 55,3% válidas segundo Paraná Pesquisas (PI-02405/2022) e pode desbancar o PT após oito anos.

PT de fora

O Planalto comemorou estimativas indicando que em Pernambuco o segundo turno na disputa pelo governo estadual será entre Marília Arraes (Solidariedade) e Anderson Ferreira (PL), candidato de Bolsonaro.

Betoneiras em ação

A construção civil é um grande termômetro da economia e o recorde de crédito imobiliário de R$16,6 bilhões, impulsionado pelo Casa Verde Amarela, mostra que a expectativa é de mais empregos a caminho.

21 anos depois

Além das 2.977 vítimas diretas do ataque terrorista de 11 de setembro, em Nova York, são homenageados hoje outras centenas de bombeiros, policiais e paramédicos que morreram em decorrência dos ataques.

Além do erro

No 1º turno, em 2018, o Datafolha divulgou pesquisa, a maior até então: 19.552 entrevistados na véspera da eleição. Chutou Bolsonaro com 36% (40% dos válidos). Errou por seis pontos, além da margem de erro.

Roubo em alta

Associação de empresas de telecom, a Conexis revelou alta de 28% nos roubos de cabos. Foram 2,34 milhões de metros roubados apenas no primeiro semestre do ano, que afetaram cerca de 4 milhões de clientes.

Automatizado

Governador de São Paulo, Rodrigo Garcia autorizou compra de 3 mil aparelhos para as viaturas policiais. A ideia é ajudar na identificação de veículos roubados e proteger ainda mais o transporte logístico.

Pensando bem…

…foi brochante comemorar o 7 de Setembro no dia 8.

PODER SEM PUDOR

Loucura como herança

Grande contador de “causos”, o escritor e ex-ministro Ronaldo Costa Couto escreveu as “orelhas” do livro de Vera Brant, “JK, O reencontro com Brasília” (Record, Rio, 2002, 94 pp.). Depois de lembrar que Brant em Minas não fica doido, piora, Costa Couto contou que certa vez, em 1973, Juscelino Kubitscheck foi conhecer o apartamento da amiga, em Brasília, e se deparou com um belo carrilhão na sala. “Herança do seu avô português, Vera?”, perguntou o ex-presidente. Ela esclareceu, divertida: “Não. Da minha família, só herdei a loucura. O resto eu mesma comprei.”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Distância média Lula-Bolsonaro cai para 5,3%
Bolsonaro se esquivou duas vezes de encontrar Trump
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias