Domingo, 21 de Abril de 2024

Home em foco Saiba quem é o indígena preso pela Polícia Federal por causa de atos antidemocráticos

Compartilhe esta notícia:

José Acácio Serere Xavante, de 42 anos, preso na segunda-feira (12) em Brasília pela prática de condutas ilícitas em atos antidemocráticos, é pastor, mora em Campinápolis (MT), onde já concorreu a prefeito – e foi preso e condenado por tráfico de drogas.

Após a prisão do indígena pela Polícia Federal (PF), apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) tentaram invadir a sede da PF e deflagraram uma série de atos de vandalismo em Brasília, que resultaram em ônibus e carros queimados. A Esplanada dos Ministérios chegou a ser fechada.

O que se sabe de José Acácio:

— É apoiador do presidente Jair Bolsonaro e participou de atos golpistas. Ele se apresenta como pastor e missionário. No final de semana, ele disse em Brasília que Lula “não sobe a rampa”;

— A pedido da Procuradoria Geral da República, o Supremo Tribunal Federal determinou a prisão dele por participar de “manifestações de cunho antidemocrático” nas imediações do Congresso, no Aeroporto Internacional de Brasília, em um shopping e em frente ao hotel onde estão hospedados Lula e o vice Geraldo Alckmin (PSB). A PF, então, o prendeu;

— A PF informou que José Acácio está acompanhado de advogados e que as formalidades relativas à prisão “estão sendo adotadas nos termos da lei” e que o processo corre em sigilo.

— Ele se identifica como cacique. A Funai informou que ele não faz parte dos caciques tradicionais – mas que não é possível afirmar se José Acácio é cacique ou não, porque há muitas terras indígenas e aldeias;

— Foi preso por tráfico de drogas em 2007 em Campinápolis, a 544 km de Cuiabá: ele e a esposa foram flagrados pela polícia com porções de cocaína. José Acácio foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão em regime fechado; ele cumpriu parte da pena preso e obteve na Justiça o direito a sair da prisão em 2008. Em agosto de 2009, o processo foi encerrado, segundo o Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

— José Acácio Concorreu a prefeito de Campinápolis nas eleições de 2020 pelo Patriotas. Recebeu apenas 689 votos , o equivalente a 9,7% do total, e ficou em terceiro lugar.

— Em vídeo que circula nas redes sociais, um fazendeiro pede ajuda financeira para manter José Acácio e outros indígenas de Mato Grosso nos atos golpistas de Brasília. O fazendeiro também diz que ele e outros amigos já conseguiram mandar cerca de oito ônibus com indígenas para Brasília e pede dinheiro para continuar mantendo os manifestantes. “Estamos com um pouco de dificuldade para manter esses índios lá. Qualquer quantia vai ajudar muito. Estamos recebendo R$ 30, R$ 40, até R$ 500. O que vier será bem-vindo”, diz trecho do vídeo. Não fica claro se o dinheiro chegou até José Acácio.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Economista Gabriel Galípolo será o número 2 de Haddad no Ministério da Fazenda; saiba mais sobre o escolhido
Banco é obrigado a indenizar cliente assaltado em agência
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias