Terça-feira, 16 de Abril de 2024

Home Leandro Mazzini Salvaguarda

Compartilhe esta notícia:

A possibilidade de mudanças na Lei do Impeachment reforça a decisão do presidente Jair Bolsonaro (PL) de marchar na disputa à reeleição com um militar de vice. O general Braga Netto deixou o comando da Defesa ontem e está a postos para a missão. Presidida pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), a comissão de juristas – instalada recentemente no Senado para modernizar Lei – tende a propor a alteração do trecho que concentra no presidente da Câmara a decisão de abrir ou não processos contra o presidente da República.

Vista grossa

O atual presidente da Câmara, Arthur Lira, e seu antecessor, Rodrigo Maia, fizeram vista grossa aos pedidos de impeachment contra Bolsonaro.

Escudo

A avaliação no Planalto é de que Braga Netto sustentará o apoio militar à reeleição e atuará como “escudo” para evitar um impeachment no eventual novo mandato de Bolsonaro.

Remorso

Assim como bolsonaristas, políticos e militantes do Podemos taxam Sergio Moro de “traidor” após o ex-juiz abandonar o partido e embarcar no União Brasil.

Estatuto

Ao manter, por ora, a pré-candidatura à Presidência, João Doria aposta no estatuto do PSDB para que seja cumprida a decisão das prévias do partido que confirmou seu nome para a disputa ao Planalto.

Inciso

O inciso IV do artigo 58 do estatuto tucano sublinha: “Escolher os candidatos do Partido aos cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, ou proclamá-los, quando houver eleição prévia para essa escolha”. Em carta enviada aos caciques tucanos, o presidente do partido, Bruno Araújo, assegurou que “as prévias serão respeitadas”.

Viajante

Hélio Ferraz de Oliveira, que substitui Mário Frias no comando da Secretaria de Cultura do governo Bolsonaro, está na mira do Ministério Público que apura os custos do passeio que eles fizeram em Nova York no ano passado. O sempre ator Mário Frias se filiou ao PL e tentará o cargo de deputado federal por São Paulo.

Caixa-preta

Questionados pela Coluna, a Presidência e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos não revelam quantas vezes, em quais datas e quais assuntos foram tratados pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura em reuniões nos dois órgãos. Ligados à Assembleia de Deus, os religiosos ditavam os rumos das emendas do MEC.

Biodiesel

A expectativa de escassez de diesel e a situação socioeconômica de 300 mil agricultores familiares adiaram a decisão do governo de escancarar, esta semana, a importação de biodiesel e também de esvaziar o programa Selo Biocombustível Social, do Ministério da Agricultura.

Alerta

Se o governo minar o Selo, as famílias perdem participação no mercado de biodiesel e mais assistência técnica e financeira, justamente em um ano eleitoral. Líderes do governo na Câmara alertam que o estrago nos negócios dos produtores nacionais e na renda dos agricultores poderá respingar na campanha à reeleição do presidente Bolsonaro.

Tornozeleira

O “deputado da tornozeleira” Daniel Silveira (União-RJ) é o campeão disparado de processos protocolados no Conselho de Ética da Câmara. Ao todo, são nove representações, algumas já com o parecer aprovado recomendando a suspensão temporária do mandato e a aplicação de censura escrita ao representado.

Segurança

A jornalista e ex-dançarina da banda ‘É o Tchan’ Silmara Miranda, hoje agente da Polícia Rodoviária Federal, vai disputar uma vaga para deputada federal em Brasília. Ela ficou conhecida nacionalmente como artista nos anos 2000. A agente vai investir no discurso da segurança pública.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Leandro Mazzini

Apologia ao nazismo
Doutrinação em TV estatal
Deixe seu comentário
Pode te interessar

Colunistas Enrosco no PL

Colunistas Saída para Lula

Colunistas Peso da cadeira

Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias