Domingo, 23 de Junho de 2024

Home Política Servidores federais terão correção no valor do auxílio-alimentação já no próximo contracheque

Compartilhe esta notícia:

Os servidores públicos federais vão passar a receber um novo valor de auxílio-alimentação no pagamento de junho. Embora os benefícios assistenciais tenham sido corrigidos a partir de 1° de maio, a folha de pagamento já estava fechada quando o acordo foi assinado.

Para o ano de 2024, o governo se comprometeu a aumentar os valores dos benefícios dos estatutários em 52% a partir de maio. Conforme a proposta, o auxílio-alimentação subirá de R$ 658 para R$ 1 mil, a contrapartida dos planos de saúde aumentará de R$ 144 para R$ 215, e o auxílio-creche passará de R$ 321 para R$ 484,90.

Vale destacar, porém, que como o acordo foi firmado na última semana de abril, e a folha de pagamento de maio já está fechada naquela ocasião, não foi possível fazer a inclusão imediata nos contracheques. Por isso, somente no mês de junho, todos os servidores receberão excepcionalmente R$ 1.342 de auxílio-alimentação. A partir de julho, o pagamento será de R$ 1 mil, todos os meses, conforme acordado.

A proposta de aumento foi aprovada pelas entidades sindicais com 83% de aprovação, mas não haverá correção ou aumento salarial concedido em 2024.

Além disso, a União comprometeu em igualar os benefícios dos Três Poderes até o fim de 2026, coincidindo com o término do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Isso significa que os valores dos servidores do Executivo serão equiparados aos do Judiciário e Legislativo, atendendo a uma demanda recorrente dos representantes do funcionalismo da União.

Ponto facultativo

O governo decretou ponto facultativo para servidores federais no dia 31 de maio, em razão do feriado de Corpus Christi, celebrado na quinta-feira (30) A medida beneficia a administração direta, as autarquias e as fundações do Executivo federal.

A decisão, segundo o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), está em conformidade com a Portaria 8.617/2023, de 28 de dezembro de 2023, que estabeleceu o calendário oficial de feriados nacionais e de pontos facultativos para este ano.

Greve

As universidades e institutos federais de ensino superior (Ifes) vão continuar em greve. As entidades coordenadoras da paralisação disseram que não pretendem assinar o acordo anunciado pelo Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos na segunda (20). Em entrevista coletiva na manhã dessa sexta (24), as entidades cobraram a continuidade das negociações.

Na quarta (22), o ministério encaminhou comunicado às entidades informando que estavam encerradas as negociações com os professores das universidades e institutos federais. Segundo o texto, o encontro marcado para esta segunda-feira (27) tem como objetivo a assinatura de um termo de acordo, “não restando, portanto, margem para recepção de novas contrapropostas”.

A greve dos professores e dos técnicos administrativos das instituições federais de ensino superior e colégios federais começou em 15 de abril. Segundo balanço do Andes, assembleias realizadas até o dia de hoje nas instituições de ensino indicam a continuidade da greve em 59 universidades e mais de 560 colégios federais.

Pela proposta do governo, apresentada em maio, os professores de universidades e colégios federais teriam aumento de 13,3% a 31% até 2026. Os reajustes, entretanto, só começariam a ser aplicados em 2025.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Senado discute proposta de emenda à Constituição que pode beneficiar ocupantes de terrenos de marinha; entenda o que está e m jogo
Bolsonaro percorre cidades de São Paulo para arrecadar doações aos atingidos pelas enchentes no RS
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde