Domingo, 28 de Novembro de 2021

Home Brasil Solto o piloto turco preso no Brasil em um jatinho que carregava mais de uma tonelada de cocaína

Compartilhe esta notícia:

O piloto turco Veli Demir, preso em Fortaleza no início de agosto em um jatinho que transportava 1,3 tonelada de cocaína, foi solto e vai cumprir medidas cautelares por decisão do desembargador Francisco Roberto Machado, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5). Demir estava em prisão preventiva desde a apreensão da droga, que tinha como destino a Bélgica.

Apesar do habeas corpus, o piloto precisar cumprir medidas cautelares. Dentre elas, estão o comparecimento mensal em juízo enquanto as investigações não forem concluídas. Está proibido, ainda, de sair de Fortaleza e do País. O passaporte do turco vai ser retido.

Os advogados Nestor Santiago e João Henrique de Andrade, que representam o piloto, afirmaram que “desde o início afirmaram que o Sr. Veli Demir é inocente. Embora a decisão não analise este fato, é importante destacar que o próprio Ministério Público Federal não via motivos para apresentar uma acusação contra ele, muito menos mantê-lo preso”.

O comerciante espanhol Angel Alberto Gonzalez Valdes que também estava no jatinho morreu no fim outubro deste ano no Hospital Penal Professor Otávio Lobo (HSPOL), em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza.

O caso

A Polícia Federal prendeu duas pessoas e apreendeu mais de uma tonelada de cocaína em um jatinho executivo no dia 4 de agosto no aeroporto de Fortaleza. O comerciante espanhol Angel Valdes e o comandante turco Veli Demir foram presos preventivamente na época.

A quantidade de 1.304 quilos de cocaína foi apreendida após uma investigação da Polícia Federal. A droga foi flagrada em uma aeronave de nacionalidade turca que decolou de Ribeirão Preto (SP) e tinha como destino Bruxelas, na Bélgica. Passageiros e tripulação tiveram de passar pela capital cearense para os trâmites de imigração.

Morte

O passageiro Angel Valdes, que era comerciante, ficou internado no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) entre 24 e 31 de agosto, cerca de vinte dias após ser preso. Em decisão de 28 de setembro, o juiz anexa o relatório de alta do paciente. Nele, a unidade hospitalar informa que o diagnóstico seria de “neoplasia de comportamento incerto ou desconhecido da traqueia, brônquios e pulmões”.

A neoplasia ocorre quando um tumor se dá por crescimento do número de células, podendo ser benigna ou maligna. O câncer ocorre quando há neoplasia maligna.

Segundo o relatório de alta, ele foi submetido a tomografias do crânio e do tórax, além de uma ressonância magnética do crânio e uma biópsia percutânea. Ele foi medicado e, conforme o HGF, na alta, encontrava-se “sem queixas, clinicamente e hemodinamicamente estável, sem alterações laboratoriais que justifiquem necessidade de internamento hospitalar”.

PRF

No início de outubro, a Justiça Federal do Ceará autorizou que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) utilize o jatinho turco. O órgão demonstrou interesse para gerenciar e utilizar a aeronave em operações da Divisão do Subcomando de Suporte Aerotático (SSA).

Foram expedidos ofícios à Aeronáutica Brasileira e à Secretaria Nacional Antidrogas, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, sobre um “possível interesse na utilização”.

A aeronave que decolou de Ribeirão Preto (SP) tinha como destino Bruxelas, na Bélgica. Passageiros e tripulação tiveram de passar pela capital cearense para os trâmites de imigração. Com eles, estava 1.303,99 quilogramas de cocaína, divididos em 1.200 tabletes, em 24 malas. Foram presos o capitão da reserva da Força Aérea da Turquia, Veli Demir, e o comerciante espanhol Angel Alberto Gonzalez Valdes.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Partidos e movimentos de oposição ao Bolsonaro não irão às ruas neste feriado da Proclamação da República
Críticas à filiação de Sergio Moro unem petistas e bolsonaristas
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa